Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Condicional

G. David FRIEDRICH, Charlk Cliffs of Rugen, 1818

Havia ainda um pouco de sonho
E a Luz e o Sol!
O encanto supérfluo da Beleza;
A procura descabida
Da Verdade...
Havia o teu nome e o meu
E os outros nomes idênticos
De identidades diversas!
A falta de verdade no gesto
E o incontido a transbordar,
Devagar...
Fingimento submerso!
Torrente poderosa do teu olhar...
Era preciso perturbar.
Havia cores de arco-íris
A morrerem nos teus passos;
Havia lampejos de luz,
A desmaiar...
Supremo - Natural!
Era preciso acreditar
No paradoxo sublime do Vital.
Havia um condicional
Hipotético e lúdico
Dentro de cada ideal...
Era fatal a Verdade renascer;
Era vital o Amor acontecer!
Anna

10 comentários:

Bipede Implume disse...

"Havia cores de arco-íris
A morrerem nos teus passos"
Conseguir imaginar esta frase e é de uma grande beleza.
Beijinhos e bom trabalho.

Ri. P disse...

Obrigada pela visita no Marat/Sade, Anna!
Este será nosso trabalho de conclusão de curso na Universidade.
A estréia será em agosto e postarei as fotos da peça.
Até mais
Ri. P

Miva disse...

OI ANNA
BOM DIA
ADOREI CONHECER SEU BLOG MUITO INTERESANTE, OBRIGADA PELA VISITA!
BJS E BOM RESTINHO DE SEMANA
MIVA

EternaApaixonada disse...

*****

Obrigada Anna!
Aqui um final de tarde cinzenta e fria...
O coração agradece o carinho!
Retribuo-o e desejo que estejas menos atarefada na escola, com bons resultados e feliz!!!

*****

JöriX disse...

a mi no puso el asiento, pero la llegada de portugal inesperó mi camino, así que devulevo el comentario, espearabdo no ser entendido

momma_lizzie disse...

thank you!

Anamika:The Sugarcrafter disse...

Read it in english and it evoked emotions !

Maay e Júu disse...

Oi, obrigada pelo comentárioo!!
Beijos
by:jú e may;D

COIMBRA disse...

http://palcopiniao.blogspot.com/search/label/C%C3%82MARA%20MUNICIPAL%20DE%20COIMBRA%20URBANISMO

Dédalus disse...

Había tantas cosas que contar, Anna... ¡Y qué bien lo has hecho!

Beijinhos.

P.S. Me encantan los paisajes de Friedrich. Buena elección para tu poema.