Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Manhã

C. David Friedrich - 1774/1840, The Stages of Life


Oito da manhã,
Como em qualquer lugar!
O parque,
Pobremente outonal,
Vestido dos incensos matinais.
Os sonhos,
Os dias,
Finalmente acordados
Nas vidas!
***
Recomeçar,
segunda-feira, agora!
A vila,
Lugubremente inconformista,
Sob um céu de chumbo...
Tu e eu
Os outros,
Finalmente reforçados
Nos sonhos!***Oito da manhã,
Segunda-feira, agora!
O parque;
A vila;
Tu e eu;
Os sonhos;
Os outros;
Os dias
Nos sonhos,
Finalmente reforçados
Nas vidas vestidas de incensos matinais.
Ana

6 comentários:

CECILE PETROVISK disse...

Ana,

Lindo!... as manhãs.... huuuuumm!..."eu ando esquecendo-te de manhã em manhã, tomando guaraná e ouvindo a Elis"*


*trecho de uma letra de música de Adriana Calcanhotto.


Beijos,
Cecile.

ADRIANO NUNES disse...

Ana,

Preciso de sua ajuda: como faço para colocar um gadget desse de contagem e de mapa em meu blog? fiz o cadastro no geovisit, mas não sei como pôr em minha página. O que faço com esses códigos? se estiver on line me responda agora.

Obrigado e abraços.
Adriano Nunes.

Bipede Implume disse...

O quotidiano assim tratado é muito belo.
Apetece sair de mãos dadas.
Beijinhos.

Georgia disse...

Oi ANa, obrigada pela visita. Eu também gosto muito dessas fotografias de época.

Geralmente as segundas-feiras prá mim é o despertar de tudo. Despertar dos sonhos do final de semana e encarar a realidade.

Um abraco

EternaApaixonada disse...

*****

Querido amiga Ana

"As pessoas com quais convivemos
parecem ser todas iguais, porém só
se diferenciam quando encontramos
nelas determinadas qualidades que
as tornam especiais..."
Você é especial para mim...


Ah! Manhã, um poema lindo!

Bom fim de semana.

Beijos

*****

PS: Tem um selo no Sintonias, só para mulheres, que repasso com alegria a você.

*****

Blogadinha disse...

Os recomeços não têm hora nem lugar marcado - começam em nós e na nossa capacide de concretização dos mesmos.
Não obstante, uma boa ideia para um bonito poema.
Bom fds!