Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sábado, 14 de novembro de 2009

A Esmo


Rei Cosroes, arte sassânica



Inquietas-te alma - criança,
tantas vezes te fiz lutar...
E farei! Pois farei!
Exigente...(e se o não fora?)
Se eu pudesse exigir;
se não temesse incomodar;
se conseguisse fazer despertar
essas serenidades abstractas;
essas beatitudes beatas!
Revolta? (não, não é isso!)
É o silêncio que incapacita,
que mortifica ...
e não deixa que saibais amar.
Conheceis-vos tão bem
- beatitudes hipócritas! -
que esqueceis o que enalteceis.
Injusta? (eis o que sou.)

Ana


Rei Cosroes, arte sassânica

7 comentários:

Juℓi Ribeiro disse...

Ana:

As fotos estão maravilhosas.
Teus versos envoltos em força
e beleza deixam transparecer
tua sensibilidade poética.

Tudo aqui é belo...
Beijo.

Gerana Damulakis disse...

A força dos seus versos, que já senti em outros poemas e aqui plasmei, chama por outra leitura. Reli. A força aumentou. É poema para ser lido em voz alta. Certa perplexidade fica evidente com a voz alta dando corpo ao poema. E ele cresce, poema-gente.
Excelente!

LUNA disse...

European Society for Medical Oncology (ESMO)

Cosroes I fue uno de los reyes más importantes de la dinastía sasánida del segundo Imperio Persa. Fue el artífice de la expansión del imperio hasta el Indo y el mar Rojo, y se enfrentó al Imperio Bizantino por el control del oriente próximo.

Sus acometidas fueron tan contundentes que el emperador bizantino Justiniano tuvo que comprar la paz mediante el pago de un tributo de 3.000 piezas anuales.

Fue sucedido por Hormizd IV.

Amiga Ana
Eu procurei e encontrei estes dois significados ....
Eu não sei se a sua poesia vai ligar com êles...

Em qualquer caso, é muito bonito, muito íntimas, muito de dentro do coraçäo.
Uma verdadeira beleza!!!!
Beijinhos

Flor ♥ disse...

Olá, querida!

Vejo que por aqui andamos com cavaleiros e reis a combater a intolerância...

E que beleza de peças!

Boa semana!
Bjs.

Sara disse...

As fotos são suas? Estão bem bonitas, e o poema também, claro,

Meg disse...

Ana,

Gostei muito do poema e destaco...
Conheceis-vos tão bem
- beatitudes hipócritas! -
que esqueceis o que enalteceis.


E as imagens estão uma maravilha.
Parabéns.

Um beijo

Ps: http://meg-experimental.blogspot.com
Um blog a duas mãos... convida-te.

duarte disse...

é bom podermos despertar nos outros, e acordar de sonos sem receios a tempestades...
abraço do vale