Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 7 de março de 2010

O Poema


Salamanca



Andava dentro das palavras
Que em nebulosa tinha na alma...
Era a calma que tu me davas
Na tarde cinzenta e chuvosa!

O poema dentro do teu nome
Que em luz e fogo perturbava
A natureza escrava, a minha fome,
Quando orando me conduz o rogo!

Ana





Castela
Fotografias de José Alves: Espanha

21 comentários:

LUNA disse...

Salamanca. Majestuosa!!!!
Con suas dos Catedráis, unidas, sua Universidade Pontificia, seu ponte Romano do século 1,
Sua Praça Mayor, porticada, suas ruas cheias de historia e suas Casas, Igrejas, Palacios e Conventos, feitos tudos da mesma pedra, da mesma côr. Da Pedra de Villamayor.
Lugar de nacimento de escritores, poetas, filósofos ilustres...
Bêrço de muitas culturas, tradiçöes e historias reais e inventadas....

Todavía hoje, muitos estudantes bebem da fonte do saber nas suas aulas...
Pelas ruas se podem ver jóvens dos cinco contenientes, hoje, aprendendo a cultura que êles ensinaräo em suas terras amanhä....

Sómente faz seis meses que eu morava alí....
Tenho saudades...
Beijinhos

Ianê Mello disse...

Que poema belissimo, amiga.
Grande beijo.

Georgio Rios disse...

un poema muy fuerte,lírico y ademas tocante en el hondo del corazón!

Sonhadora disse...

Minha querida Ana
lindo o teu poema...adorei.
deixo-te o meu carinho e um beijinho.

Sonhadora

disse...

Que poema lindo !
Beijinho

JPD disse...

Olá Ana

Gostei do teu blog e voltarei.

O relato destas cidades espanholas é rigoroso e emocionante.
Também por lá passei e foi muito agradável revê.las.

Saudações

comboio turbulento disse...

então preparadinha para a certificação PTE?:)

Flor ♥ disse...

Belíssima Salamanca, Aninha... as imagens e os teus versos têm um colorido que emociona!

Bjs.

Nydia Bonetti disse...

Ana,

"O poema dentro do teu nome", me fez lembrar "este nome":


Gérard
Depar
_Dieu

O nome
É o poema

Por não haver
Melhor palavra
Que o defina

_Nem tema


Há nomes assim, não ha? :)

Beijo!

AFRICA EM POESIA disse...

Com um beijo

deixo...
a minha poesia

8 DE MARÇO


Dia da Mulher
Mulher que foi criança...
Mulher que foi menina...
E que rápidamente cresceu...
E quando cresceu...
Tornou-se mulher...
E aí o ser que é...
Mulher... Mulher...
Mulher... Mãe...
Mulher... Avó...
Mulher... Gente...
Porque ser Mulher...
É canalizar tudo...
Tudo e todos...
E tudo gira em seu redor
E quase sempre...
Julga-se insubstituível...
No trabalho... na organização...
Na estrutura do lar...
E a Mulher... esquece-se tantas vezes...
Que também é gente...
Que precisa de ser ela própria...
De viver...
De gostar de si...
E quando consegue...
Que isto aconteça...
Ela é verdadeiramente... Mulher!...

LILI LARANJO

Antoniatenea disse...

Un poema bello , pequeño pero intenso. Me gusta.
Estuve en Salamanca el año pasado y me pareció que retrocedía en siglos recorriendo aquellas calles con sus edificios y huellas estudiantiles y la belleza de sus palacios y Universidades pero luego el ambiente estudiantil y vibrante de la tarde y la noche, le devolvía una vida y encanto que muchas grandes capitales no tienen. Estoy enamorada de Salamanca.
Besos!!

Luma Rosa disse...

Belo poema! Pensei em uma esfinge e nos seus dizeres! (rs*) Beijus,

Andradarte disse...

Bonito esse poema.....Diria que
tem costela lá daquele lado.
Beijo

Vieira Calado disse...

E que bem fica o poema

com esse pano de fundo!

Beijocas

Cristina disse...

Lindo poèma.
Beijinhos, Ana.

AFRICA EM POESIA disse...

ANA
um beijinho e...

Com frio
Com sol
Com vida
Com amor deixo...



SOL DE INVERNO



Está sol...
Sol envergonhado...
Sol frio...
Sol de inverno...
Mas... sol...
Como a vida...
Que muitas vezes é...
Vida fria...
Vida de inverno...
Vida... sem vida...
Mas... Vida...

LILI LARANJO

Meg disse...

Lindos, Ana!
O poema e as imagens.

Beijo para ti

rita disse...

Adorei a primeira fotografia, para não falar do poema. :) Beijinho

duarte disse...

rogar sim!
mas não muito... o quanto baste.
abraço do vale, n muito longe dessa terra.

Dédalus disse...

Qué bellas imágenes de Barcelona, Zaragoza, Salamanca... y qué bonito poema el que nos has dejado, Ana.

Um beijinho.

claudio rodrigues disse...

Um poema dentro do nome. Amei isso, Ana. palavra-ovo, concha. Palavra-nau, palavra-semente. tanta coisa dentro da palavra...