Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sábado, 20 de março de 2010

Ser

Gazbia Sirry, 1960


Ser um beijo de Primavera
E a Primavera que beijo;
Ser a distância e o perfume
Que a ti me une nesta fragrância!
Ser a razão do conceito
E o conceito perene da razão.
Ver e descobrir que, afinal,
A carícia de vento não é vendaval!
Amar-te, com o coração em flama
Num peito em que ateaste tal chama.
Ser a distância, para me aproximar;
Ser o tempo, para te amar!
Pisar o teu país verde, de mar e serras;
Ser o amor que no peito encerras.
E, chorar uma cálida lágrima feliz.
Sorrindo, dizer-te: «Foi Deus que o quis»...

Ana

10 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Ana
maravilhoso poema...lindo.

beijinhos com carinho

Sonhadora

Sam Seaborn disse...

Difícil descobrir uma palavra, para descrever este poema, somente visualizo de momento esta:

Arrebatador…

Andradarte disse...

Que bom....se foi Deus que
o quis....aceito..
Beijo

LUNA disse...

Ser e estar, que como sabes, en inglés se dis igual...
Ser e estar vivo, e sentir intensamente tudo o que de bom a vida nos presenteia, que é muito...
Só é necessário têr os sentidos bem abertos para senti-lo, intensamente, e agradecer....

Um beijinho.

Flor ♥ disse...

Ah... novos ares em Portugal! Perfumados e coloridos...

Feliz Primavera!

Bjs.

JPD disse...

Belíssio contributo para o dia da Poesia, Ana

Bjs

Fernando Campanella disse...

Identidade com Florbela, isso é maravilhoso. Bjos.

Gerana Damulakis disse...

Mais que belo, há versos incríveis no poema.

utopia das palavras disse...

Querer ser tudo e ser um mundo dentro de nós...é ser feliz! Tu disseste com a beleza deste poema e eu...gostei imenso!

Beijo

Antoniatenea disse...

Eres muy intensa...o estas enamorada o las dos cosas..pero eres buena poetisa..eso está claro!!
Me gusta !
Beijos!!