Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Sonhar de um dia

José Alves


Os ares cruzando
Pássaro de ferro...
Meus sonhos levando
Bem perto te quero!

Traz meu sorriso,
Meu sonho indeciso...
Um dia passado,
Um dia, amado...

Tua música atroa
Meus loucos sentidos.
Eu sou leme e proa
De mares desconhecidos!

Um dia, uma vida,
Um sonho que nasce,
Uma tarde esquecida...
E a vida que passe!

Ana


8 comentários:

Sara disse...

É um post que transmite tranquilidade...
Beijinhos

Janaina Amado disse...

Que ritmo incrível tem este poema, Ana!

Meg disse...

Ana,

Vale sempre a pena sonhar... mesmo que só por um dia. Lindo!

Bom fim de semana.

Beijo

Fernando Campanella disse...

Sim, ótimo ritmo, delicadeza e maravilhosa sonoridade. Belo e sensível poema, Aninha. Bjinhos.

Renata Luciana disse...

Como vela leve ao vento
a recantos de além mar.

Beijos ana

JPD disse...

Há quem diga que o melhor das viagens é a sua preparação.
Esse sentimento de ida e a pulsão do regresso farão sentido tal como o descreves.

Gosto da poesia que editas.

Bjs

Gerana Damulakis disse...

Um poema azul: tranquilo, contemplativo, ciente que a vida passa, mas, calmo e ritmado, obsevando-a, diz muito.

disse...

Viajar para bem longe é um dos meus sonhos...
Beijinho