Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sábado, 8 de janeiro de 2011

Meia- Noite

coruja do celeiro

Agora são zero horas, é escuro...
Não é hoje, ontem ou amanhã,
Não é dia, noite nem manhã...
Não há presente, passado ou futuro!

Meia-noite...o tempo parou.
Entre as sombras, eis a Lua!
Entre o luar a coruja gritou.
É Alentejo...em hora crua...

A geada? O monte triste? É Alentejo!
O cão ladrou, o galo cantou...
Alentejo-Mãe, aceita o meu beijo.

Vou morrer durante horas...
Assim Deus o determinou.
Alentejo, meia-noite, zero horas!

 Ana

(José Alves)
 Em criança tinha medo do piar da coruja. Hoje tenho medo do meu país.
Felizmente vivo no Alentejo onde a densidade populacional é de um habitante por 24 Km2.

12 comentários:

ETERNA APAIXONADA disse...

Minha querida amiga

Um momento de triste sentido, porém de uma beleza poética profunda!
Sempre tem o amanhecer...
Bom domingo.
Beijos

Andradarte disse...

Se isto correr pior...fujo para o
Alentejo...seguro
Beijo

LUNA disse...

Querida amiga, você mora no paraíso!!!!!

Lindas palavras para descrever uma hora mágica...
A hora em que as corujas camtam o seu canto únio...a hora das bruxas...

Beijinho

Flor ♥ disse...

Aninha,

O pio da coruja é mesmo muito sinistro: reflete a imagem daquilo que tememos. Já estes teus versos refletem uma realidade ao mesmo tempo sombria e bela.

Beijos, e um 2011 com mais esperanças!

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Realmente mete medo...o país!

Beijinhos

JPD disse...

Belo poema, Ana.

Provavelmente é muito injusto o tratamento que o cinema dá ás corujas.

Mas, medos são medos.

Bjs, Ana

Nilson Barcelli disse...

Um soneto de grande qualidade. Parabéns, querida amiga Ana. São muito poucos os que atingem um patamar como o teu...
Beijos.

AFRICA EM POESIA disse...

Lindo o que li
O mundo è Grande
É Redondo...
Dá para darmos as mãos e sentirmos que estamos perto

vou estar uns dias fora (HOLLANDA) espero que me alegrem o blog
Um beijo

AFRICA EM POESIA disse...

Lindo o que li
O mundo è Grande
É Redondo...
Dá para darmos as mãos e sentirmos que estamos perto

vou estar uns dias fora (HOLLANDA) espero que me alegrem o blog
Um beijo

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Também me entristece os tempos que estamos vivendo.
Mas não podemos,nós,perder o rumo.
Eu tenho o meu, sigo o exemplo acima mencionado: Alentejo.
Estou a brincar. Só quero que sorrias.
Beijinhos de muita amizade
Isabel
PS Já vi os postais. Fui logo ver Lourenço Marques. Impecável.

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando apenas para deixar um carinho...um beijinho e dizer que estou melhor e voltando com saudades.

Sonhadora

Fernando Campanella disse...

Belo poema ao adolescente, Ana. A vida desperta,então tudo é fruição. A existência, ah, essa aflora mais tarde com a experiência de existir. Bjos