Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Ausência

1465, Sandro Botticelli


A ausência dói, queima na alma,
Nasce nostálgica a angústia e o medo.
Céu de trovoada que os ânimos acalma;
É um cismar que nos rouba o sossego.

Depois, o sol brilha, a ternura impera.
Afasta-se a ausência que contém a espera.
O sol trilha, claro,  no sorrir da aurora
E o Amor quente da alma se assenhora.

Hoje é a espera de angústia e saudade;
É a insegurança, o medo e o terror;
É a fantasmagoria nascida da ansiedade.

Amanhã nascerá o sol vivo despertando a flor;
Amanhã fé e esperança trarão a clara realidade
Que é a felicidade inebriante e terna do Amor.


Ana

14 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema lindo entre a noite e o dia do amor, mas vestido de esperança no reencontro.


Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Vieira Calado disse...

Pois, amiga!

Valha-nos ter esperança no amanhã!


Bjjjsss

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Ana, bela imagem...belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Que belo soneto, quase a adivinhar o dia de hoje de chuva e trovoada.
Gosto muito de sonetos. Era um dos exercícios que a professora, gostava de nos pôr à prova. Naquela longínqua adolescência tentei muitos sonetos, mas não chegaram até hoje. Como diria Torga "tão infeliz era o terreno da plantação".
Assim saúdo essa maravilhosa inspiração.
Boa semana.
Beijinhos
Isabel

Ricardo Miñana disse...

Preciosa la poesía llena de bellos sentimientos, un gusto leerte.
que tengas una bonita semana.
un abrazo.

A.S. disse...

Ana,

Muito lindo o soneto!...
Sou um apaixonado por sonetos!


Beijo!
AL

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Um soneto lindo onde impera a esperança sempre que o sol brilha.

Beijinhos

sofia disse...

Muito lindo professora!
Gostei! (esta palavra começa a ser constante da minha parte no seu blogue) beijinho*

Andradarte disse...

Um lindo soneto Ana...Existe sempre
um amanhã...
Beijo

kisapele disse...

tudo se move o amor

lindo!

MARU disse...

Un precioso soneto, bello canto a la vida, a la esperanza, al renacer de cada dia.
Me ha parecido maravilloso!!!! Gracias.
Un besito, querida amiga.

Flor disse...

Lindo soneto Ana.

Um beijinho
Flor

JPD disse...

Boa noite, Ana

Excelente poema sobre o sofrimento e a exultação da felicidade, esse vaivém incessante, quase tirânico, de luz e sombra, claridade e obscuridade.

Belíssimo!

(Glosando o Leal Conselheiro: esse sublime estado de benquerença!)

Bjs

Ianê Mello disse...

Lindo seu soneto, amiga.

Grande beijo.