Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 24 de maio de 2011

Imensidão

José Alves - Alentejo


Sou a mesquinha
Erva daninha ...
Mas sonho grandeza
Olhando a Natureza.
Se os dias são belos
Ergo altos castelos
De brumas e sonhos.
E meus olhos tristonhos
Com terror e melancolia
Afundam-se na monotonia.
Nas brumas perdidas,
De olhares divagantes,
Passam mareantes
De viagens esquecidas,
De rotas perdidas ...
Nos sonhos errantes.
Pedaços de luz,
Onde a vida conduz,
São como desertos
De sonhos despertos...


Ana

14 comentários:

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Curiosamente também postei no meu blogue um sonho acordado.
É neles que temos que nos refugiar para fugir aos pesadelos.

beijinhos

Eva Gonçalves disse...

Como diz a Fê, temos de ter sonhos grandes... para não nos afundarmos na melancolia. E que melhor forma de o fazer, senão através da natureza e dessa paizagem alentejana :) Beijinho

MARU disse...

Belísimas palavras, que falam desde o mais profundo do nosso coraçäo... e o vento vem e leva a tristeza, e traz perfumes de naranjos em flor... e leva o cheiro das hervas daninhas, queimadas com o fogo do tempo...
pedaços de luz, onde a vida conduz...

obrigada... I love my friend

JPD disse...

Eu arrisco uma exaltação cheia de bucolismo.
Gostei.
Tenho o privilégio de ler a tua excelente poesia o que me deixa muito satisfeito.
Voilá!

Bjs

sofia disse...

Lindo, muito lindo :)
beijinho*

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

gostei da mistura lúdica das imagens: terra, plantas efim muito legal

Margarida disse...

A professora nunca anseia a confusão? Sempre que aqui venho há uma calma imensa que toma conta de mim....
Beijinhos

Andradarte disse...

Os sentimentos variam e nos tomam por inteiro......
Me encanta a sua poesia
Beijo

Rolando Palma disse...

Se os poemas fossem como as estações do ano, este seria certamente o verão. Há algo de céu azul e searas amarelas num horizonte despido de nuvens... nestas linhas. sei, poderá ser simplesmente um sonho. Mas os sonhos também têm cores.

Tudo de bom para ti,

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Também me sinto privilegiada por ler a tua poesia.
E depois ela agarra-me na mão e aí vou eu com mais vontade de sonhar.
Um fim de semana em paz.
beijinhos
Isabel

Anónimo disse...

Bom fim de semana,Ana.Beijinhos.
Christina

kisapele disse...

i know there is much lost in the translation, but I could still feel it. the beauty permeates in between the words...very nice. hugs and kisses


Eu sei que há muito perdido na tradução, mas eu ainda podia sentir isso. a beleza permeia entre as palavras ... muito bom. abraços e beijos

Rita disse...

Lindo!!! Adorei. :) Beijinho

Mel de Carvalho disse...

O que importa é, em rigor, a humildade do olhar que tudo engrandece.

O acaso quis que encontrasse este espaço, Ana. Gostei do que li,m e, se me permite, voltarei.

Fraterno abraço
Mel