Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Oito horas

Carlo Carrà (1881-1966) : l'austérité du paysage



Oito horas, zero graus.
Luz aguda na paisagem.
Rostos pálidos destas casas...
E o ar ecoa na friagem
De sonhos antigos, sem asas!
Zero horas, oito graus.

Ana



10 comentários:

Rogério Pereira disse...

Zero horas, zero graus
E o ar (re)ecoa na friagem
De sonhos renascidos, com asas...

Jorge disse...

Temperaturas austeras, paisagem austera. Os sonhos, esses, voam sempre, com ou sem asas.
Abr
J

alfacinha disse...

poema com charme

Olinda Melo disse...

A partir do zero podem construir-se sonhos alados e aquecer corações gelados pelas intempéries da vida.


Beijo

Olinda

Mel de Carvalho disse...

O tempo a escorrer-se gélido na ampulheta do tempo breve. O poema a perpetuar a vida além do corpo efémero.E nada coalha o sonho, sequer as asas...

Tão belo este poema, Ana.
Beijo
Mel

Luisa Moreira disse...

Cara colega,

No blog do Rogério fez um comentário em que dá a entender o seu desagrado relativamente ao projeto Fénix.
Gostaria de conhecer a sua opinião e o seu desapontamento em relação ao mesmo.
se quiser usar este espaço seria bom porque outros colegas poderiam participar da discussão. No entanto, pode fazê-lo através deste espaço.
fenixbeiriz@gmail.com
Se estiver interessada enviaremos o endereço de outros locais de discussão.
As criticas e sugestões serão sempre bem aceites e importantes para a melhoria do projeto.
Obrigada

A.S. disse...

Gélidas sensações que só o sonho descongela...

Beijos!
AL

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Está um frio gélido fora. Mas a natureza parece que partilha estes momentos que atravessamos.
Mas há sempre uma primavera, esperemos.
Gosto muito do que escreves.
Bom fim de semana.
Beijinhos
Isabel

Ana Tapadas disse...

Cara Luísa,
«fórmula», no sentido das Ciências Sociais e Humanas: linguagem formal subjacente.

(Vi o comentário. Sobre o mesmo devo dizer-lhe, apenas, que interpretou mal o que ali escrevi. Apenas quis dizer que, sobre educação não comento em blogues, por dever ético.
Tenho responsabilidades de coordenação na minha escola e acompanho o Fénix - por isso conheço o projecto. Não sou céptica nem entusiasta).

Não se preocupe, compreendo a sua reacção, pois já assisti a diversas reuniões e discussões.

bj

Ana Tapadas disse...

Meus amigos:
para que possam entender este diálogo, pois tenho por princípio não responder aos comentários, aqui fica o que escrevi no blogue do Rogério Pereira:



Amigo,
com 35 anos disto (desde os dezoito) vou abster-me.
Conheço o Matias Alves e as suas fórmulas para o sucesso, como o Fénix...vem com frequência à minha escola.

Pessoalmente falaríamos.


Abraço