Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Divagando...

Abraham Bosse: Les Perspecteurs, 1648

Quem inventou a claridade deste dia?

Quem sonhou estas imagens tão sublimes
E viu na tristeza e na agonia
A força que ao dia imprimes?

Que o sol desça das alturas!
Que chamem nobres as criaturas
Que trazem no peito a imensidão
Que encontraram na solidão!

Os que trazem nesse olhar a limpidez
E escondem na alma a aridez
Dos dias longos e da monotonia
De uma vida feita dia-a-dia...

Que sejam como as andorinhas
Que cruzam os ares em dias de bruma;
Como a flor que os ares perfuma
E como o chilrear das avezinhas!

Que nasça a beleza e a liberdade
Da força da verdadeira igualdade...
E em presença da singeleza
E das formas inertes da Natureza!


Ana


12 comentários:

Margarida disse...

E olhe que divagar é tão bom... É como de fosse um refúgio da nossa rotina cansativa.
Não sei se já lhe aconteceu, mas neste momento estou num período de branca emocional e não consigo escrever nada. Acho que Lisboa está-me a tornar uma pessoa muito mais racional... e isso não me agrada.

Beijinhos! Saudades suas...

Jorge disse...

Faz-nos bem divagar, fantasiar, partilhar as nossas inquietudes. Tudo isso nos liberta. É como que um lavar d'alma.
Bj
J

São disse...

Quem? Jamis o saberemos definir, minha amiga.

Mas que existe uma Origem, pois isso tenho a certa certeza que sim.

Que seja muito boa a tua semana

Luma Rosa disse...

A esperança vence a monotonia dos dias! ;) Boa semana!! Beijus,

carla disse...

Ao chegar ao teu blog encontrei linda poesia e por aqui fiquei divagando com amor e alegria :)

Se quiseres visita-me

boa semana

carla granja

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt/

Olinda Melo disse...

Magnífico poema, Ana.
Divagar assim faz bem à alma.

Bjs

Olinda

Sonhadora disse...

Minha querida

Muito bela esta tua divagação...um poema lindo e profundo.


Um beijinho com carinho
Sonhadora

João da Nova disse...

É fácil ficar sem palavras perante algo tão belo e profundo, mas há que continuara a “reagir”, a sorrir e a dar “força ao dia”

Grande Beijinho

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Há divagar e há divagar...
E eu gosto do teu modo de divagar.
A propósito, e não é divagação.
As andorinhas já voltaram. Que eu já as vi, bem vistas, ao pé de mim.
Boa semana.
Beijinhos
Isabel

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Estes teus Divagares enchem-me sempre de esperança e eu tanto preciso dela.

beijinhos

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Bom fim de semana.Beijinhos
Isabel

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Bom fim de semana.Beijinhos
Isabel