Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 6 de janeiro de 2013

Anseia

Alex Andreyev





Segura a natureza
Que a ruína agoira

A realidade instalada

Liberta a nostalgia



Vagueia
Anseia
Que a pobreza estoira
Na ferrugem
Na monotonia

Vagueia
Anseia
A realidade ultrajada
Pela fútil avareza
Será conquistada


No dealbar
Deste sonho
Neste mar

Vagueia
Anseia


Ana



10 comentários:

Fê blue bird disse...

Um sonho, um anseio e uma realidade!


beijinho amiga tem uma excelente semana

cores e outros amores disse...

Muito bonito. Um beijo

Isa Lisboa disse...

Ansiar sempre...!

Beijo, boa semana

Rogério Pereira disse...

Vagueia, anseia

Mas cuidado
Não lances ferro
Em qualquer lado
Nem embarques
Em qualquer barco

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Ana

Que os nossos anseios se tornem realidade neste ano que começa e que desejo que para ti seja pleno de amor e paz.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Fa menor disse...

Que nunca o sonho se nos acabe!

bjinhs

São disse...

Que consigamos seguir o exemplo da menina deste belo quadro que tão bem combina com o teu texto.

Amiga, sê feliz!

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

"No dealbar do sonho, vagueia, anseia"...

Um beijinho

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Fim de férias para a Sandra hoje.
Assim estou de volta aos amigos.
Um poema lindo acompanhado de um quadro igualmente belo.
Beijinho
Isabel

Ianê Mello disse...

Lindíssimo poema a retratar a dura realidade.
Esperança é o que resta, amiga, em dias melhores.
Bjs.