Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sexta-feira, 29 de março de 2013

Doce raiar

Açores, José Alves

Há chuva e sonhos
e na lama dos dias
nasce um doce raiar
                          Há chuva e sonhos
                          quando se ama
                          sem guias no mar
Há chuva e sonhos
brumas e maresias
frágeis a murmurar

                          Há chuva e sonhos
                          num povo que clama
                          o sol a despontar


                                                                      Ana

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Chuva e sonhos

Sonho é água
alojada
numa nuvem
alta

É quando chove
que o sonho se move

O sol?
O sol desponta só para festejar
Virá, quando o povo o chamar

São disse...

E o sol despontará quente e generoso, não poderá ser de outro modo!

Ai, que saudades dos Açores...

Minha amiga, te desejo uma Páscoa renovadora e com muita esperança- assim, junto a quem amas

Mar Arável disse...


Em Abril começa a Primavera

mesmo que não faça sol

Veremos

Olinda Melo disse...


Ai, acho que sim! Temos tudo a nosso favor.

Adoro dias de chuva, dias de Sol e também gosto de sonhar.

Baralhemos estes dados e partamos em busca do que é nosso. Mar e Sol e chuva e sonhos...

Uma Santa Páscoa, querida Ana.

Bjs

Olinda

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

A foto faz-me lembrar umas que tirei no mar das Berlengas...

Uma Páscoa Feliz!

Fê Blue bird disse...

Há chuva e sonhos
num povo que clama
o sol a despontar.


Um poema cheio de esperança.
Fez-me bem este raiar!

beijinho


Maria Lucas disse...

Belo poema, singelo e doce.