Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 1 de abril de 2013

José

Edward Robert Hughes, Heart of Snow


Nota prévia: dizem-me, por vezes, que expresso pouco lirismo. É verdade, sou contida. Euforia e disforia estão fora do meu vocabulário. Prefiro o sorriso à gargalhada e o silêncio ao grito. Tudo isto aprendi com a vida...porém o lirismo perdura, só não o publico. Hoje, abro uma excepção e quebro o «gelo».



Desenham-se aromas celestes
E os teus braços estendem-se,
Agarram a minha vida toda
E cercam o envolvente Amor
Que perfumas...
Sol, azul, calor intenso!
Os teus braços...
Incenso tão meu perfumando
O Amor tão nosso, tão nosso!
E as palavras entram nas palavras
E as palavras colam-se às palavras.
Silenciosa, no ímpeto da vida,
A tua boca...
Unindo, vivificando, enlouquecendo!
Digo-te:
Não há poesia, não há rima, não há regra
Que cante, que defina, que enobreça...
Tua mão segura a minha vida
Perto do orvalho onde a manhã começa,
Perto do tudo onde o uno se alimenta!
Jorra exaltada a Palavra
E entra em nós...
Como fogo, como raio,
Como água pura sussurrando:
Amo-te.


Ana

11 comentários:

Rogério Pereira disse...

Dispensava a nota prévia, sou eu que decido o teu lirismo...

O gelo há muito que derreteu (sinto eu)

Mar Arável disse...


Nessa ilha
se tivéssemos um barco
seria inútil

somos onde estamos
e aqui lutaremos

voo da alma disse...

Como água pura o seu lirismo.
Aguardo por mais.

voo da alma disse...


Ana,
o meu nome é Eduardo Leblanc.
E gosto do seu lirismo.

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Eu sinto lirismo sempre nas tuas
palavras.
Lindo este poema e tão feliz.
Beijinho
Isabel

Fa menor disse...

O belo que da Vida emerge!


Boas Festas Pascais!

Bjinhs

Fê Blue bird disse...

Tinha que ser o Amor a quebrar esse silêncio. LINDO!!!

Não acredites em tudo que te dizem :)

beijinho

Jorge disse...

Lirismo duma pureza cristalina em que palavras poderosas culminam numa benção sussurante...

heretico disse...

poesia envolvente. e torencial - como lava escaldante...

Sam Seaborn disse...

Confesso que já tinha saudades de te ler. Grande beijinho

São disse...

Fizeste bem em abrir uma fenda na cerca onde te proteges e deixar ver um pouco mais de ti!

Embora quem seja contida como tu tenha pressentido o doce que és, rrrss

Abraço fraterno