Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Fúria

google
Quisera, serenamente, despertar
E acordar a bruma dos olhares...
Quisera, exaltada, agarrar...
Todas as sombras destes ares!

Queria fazer esquecer a cobardia,
Nos olhares frustrados e doentes!
Tirar todas as lentes com ousadia.
E ergo,vacilantes uns olhos dementes.

Se visse naqueles olhares mais do que vi;
Se tivesse a coragem de me erguer...
E combater...e dizer o que senti!
Mas fiquei, só,  a meditar e a sofrer.

Ter a coragem de dizer que não sonho, vivo!
Que vejo, que quero, que sinto, que amo e sou.
E que a verdade que o mundo me revelou
É a razão do que sou e do que vivo!


Ana (1977)

18 comentários:

JP disse...

Um belo momento e belas são, igualmente, as palavras.

"E que a verdade que o mundo me revelou
É a razão do que sou e do que vivo"

Gostei muito


Beijinho e bom fds

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
É tão bom vir ao teu blog.
Ganho com a espera e traz-me a serenidade que preciso.
Esta chuva que se ouve noite fora se, ao menos, levasse todo o lixo que nos conspurca...
Beijinho e paz.
Isabel

Rogerio G. V. Pereira disse...

A fúria terá começado assim
E não mais lhe parou

Nem a mim

edumanes disse...

E a fúria avassaladora
Evadiu Portugal
De nome astróina, devastadora
Causadora de terrível mal.

Não quisera assim pensar
Ver, assim não quisera
Veio para ficar
Vê-la daqui para fora quem me dera!

Quem nos dera
Que nos deixe viver em paz
Não queremos guerra
Só leva, nada nos trás


Adorei o seu poema, 5 estrelas
De noite no céu azul
Sem nuvens brilhantes vê-las!

Boa noite e bom fim de semana para você, amiga Ana Tapadas, um beijo
Eduardo.
Viva Portugal, viva o Alentejo.

Andradarte disse...

Pois há que erguer....e combater....
Bom fim de semana
Beijo

Olinda Melo disse...


Querida Ana

Versos apaixonados de um tempo em que, segundo me parece, muito jovem, nos mostras já a tua garra, a força de quem sabe o que quer e um grande talento.Uma expressividade enorme.

Um belo poema, minha amiga. Gostei muito.

Bj

Olinda

São disse...

Um dos teus mais sentidos poemas.

E lutemos, Aninhas, lutemos , porque os tempos são de luta e aguerrida, senão ainda legalizam a escravatura de novo!

Abraço grande e bom fim de semana

edumanes disse...


Bom dia com alegria!
Bom fim de semana e prosperidade
Saúde, paz, carinho e amor, de noite e de dia.
Das minhas para as tuas mãos delicadas
Pega na chave da porta da nossa amizade
Por Deus com carinho e amor abençoadas
Mantém a porta do teu coração, aberta à felicidade.

Para ti, amiga Ana Tapadas,
um beijo
Eduardo.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

...e a melhor maneira de viver é acordar do sonho sem deixar de sonhar...

beijinho amigo

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

...e a melhor maneira de viver é acordar do sonho sem deixar de sonhar...

beijinho amigo

Zilani Célia disse...

OI ANA!
UM TEXTO ESCRITO EM 1977 E TANTO TEMPO DEPOIS, TÃO PERTINENTE AO MOMENTO EM QUE TEU PAÍS VIVE.
MUITO BONITO.
ABRÇS
http://zilaaniceli.blogspot.com.br/

. intemporal . disse...

.

.

. uma poesia . que bem poderia ser a letra de um fado tão Seu . e tantas vezes . tão nosso .

.

. um bom.domingo .

.

. um beijo meu .

.

.

heretico disse...

poema de uma "rebeldia" encantadora...

adorei.

beijo

irneh disse...

1977... tão meninas que nós éramos!! E tu já delineavas assim a poesia com a tua Parker! Era moda na altura e tu sempre gostaste.
Beijinhos, minha amiga desde 10 de março de 1977!

Mar Arável disse...

Palavras vivas
que não se rendem

Bjs

Evanir disse...

Desejo a você uma semana de paz e realizaçãoes
semeia amor e carinho no decorrer dessa semana
verá a diferença em sua vida.
È agradavel sermos benevolente com nossa familia
amigos afinal somos todos irmãos.
Podemos escolher entre o bem e o mal
tudo depende de nós.
Eu já deixai tantas mensagens semeando amor
por onde passei nem por isso recebi de todos
os frutos das sementes que plantei.
Uns leram guardaram no fundo do coração
por outros passei despercebida.
Uma certeza eu tenho não passei
despercebida aos olhos de quem
tem amizade verdadeira e muito menos
passei despercebida aos olhos do Pai.
Podemos escolher o que semear ,
mas somos obrigados a colher
aquilo que semeamos.
Plantemos amor colheremos fatalmente
a sonhada felicidade.
Uma abençoada semana de me suas mãos me ajuda a caminhar
o resto é o nada diante de Deus.
Paz e luz , Evanir.

Nilson Barcelli disse...

Pois, todos somos cobardes. Para algumas coisas, pelo menos...
O teu poema é excelente. Fiquei deslumbrado por já escreveres tão bem há 36 anos...!!! Mas agora percebo o teu talento atual... já vem de longe, de muito longe...
Boa semana, querida amiga Ana.
Beijo.

Luma Rosa disse...

Oi, Ana!
O que é a razão senão um lampejo de reconciliação com nossas convicções?
Amar é uma forma de sonhar. Aliás, todo sonho tem um cadinho de amor - por si mesmo, pelas coisas ou simplesmente pela vida - como se fosse simples dispor da coragem e não mais querer sonhar :)
Beijus,