Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Parcas palavras

Leonid Afremov



Há um prumo
hirto frio
que fere

Há um rumo

Não cales
a palavra
que lavra
a fria aragem

Não fales
do frio
que fere


Há um rumo
nesta margem



Ana

15 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Não calo!

Há um rumo?

Sim, poeta
eu sei

edumanes disse...

Muito bem pensado amiga Ana!
Contra a repressão feroz
Dessa gente que nos engana
Não me calarei, gritarei
até ouvirem a minha voz
Pelos meus direitos lutarei!

Desejo uma boa noite para você,
Um beijo
Eduardo.

Andradarte disse...

Por uma razão ou outra.....há que
falar.......
Está lá tudo..
Beijo

São disse...

Não me calei, não me calo, não me calarei!

Quanto ao rumo, leva tempo mas será seguido um dia por toda a gente de bem

Abraço fraterno, amiga

Margarida disse...

Que os seus pensamentos a levem sempre pelo seu melhor rumo...

Beijos grandes com saudades,
Sara

Evanir disse...

É preciso reviver o sonho
e a certeza de que tudo vai mudar.
É necessário abrir os olhos e perceber
que as coisas boas estão dentro de nós
onde os sentimentos não precisam de
motivos nem razão para amar nossos irmãos.
O importante é aproveitar o momento
e aprender o quanto a vida é breve
para deixar em brancas nuvens tudo ,
que poderemos ser
útil e amorosos nessa vida.
Se não houve amor ,que as verdadeiras amizades
continuem eternas e tenham sempre um lugar
especial fazendo morada em nossos corações.
Que eu seja para sempre nem ,
que seja uma lembrança porém te peço
nunca esqueça da nossa linda amizade .
Eu deixei na postagem um mimo ,
que é para vc uma lembrança minha.
Se aceitar ficarei grata e feliz.
Se for de outra forma ,
que prevaleça para sempre nossa amizade.
Um feliz e abençoado final de semana.
Carinhosamente deixo beijos no seu doce coração.
Evanir.

Olinda Melo disse...


Querida Ana

Aqui, a Palavra tem a sua morada, embelezada por sentimentos de urgência e de partilha.

Bom fim de semana.

Bj

Olinda

Zilani Célia disse...

OI ANA!
POR MAIS QUE OS CAMINHOS SE FECHEM A NOSSA FRENTE, SEMPRE HAVERÁ UM NOVO RUMO A SE SEGUIR...
LINDA COMPOSIÇÃO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

edumanes disse...

PARA A AMIGA ANA TAPADAS.
Fim de semana prazenteiro!
Amanhã vais estar mais suave
Como sou um bom cavalheiro
Nunca faço nada de muito grave
Venho aqui com boas maneiras
Como sempre educadamente
Com as minhas brincadeiras
Não desejo ser impertinente
Entro aqui em teu espaço
Com as mãos cheias de carinho
Sempre tudo bem eu faço
Porque sou bom rapazinho
Por isso venho hoje e sempre
Te desejar bom fim de semana
Quem de quem saudades sente
a falta de quem o não engana!
Beijinhos
Eduardo.

Nilson Barcelli disse...

Parcas, mas boas...
Gostei.
Ana, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

. intemporal . disse...

.

.

. gosto tanto da poesia quando se move assim . amadurecente .

.

. um beijo meu .

.

.

Fê blue bird disse...

Uma margem onde também habito.
Um rumo que sigo.

beijinho amiga Ana

heretico disse...

ombro com ombro - abrindo o rumo!

(apesar do frio)

belíssimo

beijo

Luma Rosa disse...

Oi, Ana!!
Sempre haverá...
:)
Beijus,

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Venho aqui reforçar a minha esperança.
A aguarela é belíssima.
Beijinho
Isabel