Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 15 de dezembro de 2013

Seria

Ernest Descals
Se tu quisesses
Era a Viagem!
Condicional...
Imperativo do teu ser
Ideal...

Amando o abismo
Na viragem...
De um incondicional
Renascer!

A paragem.

Equação postulada
Inexistente...
Que procuras resolver
Semi-demente!

Mulher!

Mas...
Adversativa fugaz,
Imperativa clara
Como um súbito alvorecer!

Ana

12 comentários:

edumanes disse...

Se tu quisesses esclarecer!
Eu não teria tanto que pensar
Para o sentidos das palavras entender!
Toda no sítio certo a pontuação
Poema de professora sim, não talvez
Terei que ler muito bem a lição
Para lhe responder em português!

Parabéns senhora professora,
obrigado pela visita, amiga Ana Tapadas.
Desejo-lhe uma boa noite e FELIZ NATAL.
Um beijo, Eduardo.

São disse...

Quando editas um livro?...

Que sejam alegres as tuas Festas, que tenha muito amor o teu Natal e que seja excelente o teu 2014, Anita!

JP disse...

Jogas com as palavras e com os tempos verbais para nos deixares a pensar...:))

Beijinho

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor

Bjs

Pérola disse...

Condicionais que se pretendem sem condições.

Beijinhos

AC disse...

As palavras, por aqui, são arquitectura de fino recorte...
Adoro a sua poesia, Ana!

Beijo :)

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Votos de Boas Festas....
Cumprimentos

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Na perspectiva de um futuro imperfeito para os portugueses, desejo sinceramente que o teu futuro seja brilhante.
Feliz Natal com muita saúde e alegria.
Beijinhos
Isabel

heretico disse...

há sempre um "mas" perturbador - até na luminosidade do poema.

gostei. deveras

beijo

Nilson Barcelli disse...

És brilhante neste poema, como aliás o és frequentemente. Jogas com as palavras de uma maneira inteligente e com um excelente resultado.
Parabéns por mais esta pérola poética.
Ana, desejo-te um FELIZ NATAL, extensivo à tua família.
Beijo.

Fa menor disse...

Gostei do jogo de palavras!

Aproveito para desejar um feliz e santo Natal e um Ano Novo ceio de paz, saúde, amor, e tudo o mais que venha por acréscimo!

beijinhos

Olinda Melo disse...


Minha amiga

Mulher imperativa e sem receios nas palavras conjugadas numa alvorada clara e decisiva...

Belo poema que é de ler e reler. E mesmo assim,sentimos que as entrelinhas não se deixam tocar...

Beijinhos

Olinda