Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 9 de março de 2014

«...a forma de existir de um silêncio», Roland Barthes

Bruno Netto

Desejo como tu desejas
Na sincronia profunda
Dos sonhos iguais.
E desejo...
O momento inviolável
Do próprio desejo!
Recuso cada ideia morta
De incontrolável passividade!
Tudo em mim
Respira
Palpita
Sonha
Quer...
Trémulas mãos incontroladas
Frementes das pulsões do teu ser!
Eu sei que tu és!
E desejo como tu desejas
O momento, silencioso,
Antecedendo a força do grito!
Tudo em mim
Aspira
Movimenta
Vai
É...
Uma onda na força da maré!
Um mar inviolado
Sonhando a nau das descobertas
Rumo ao sonho intenso
Do trópico escaldante!
Desejo quanto desejas
na rota constante
Da Festa!
Quero conhecer contigo
Quero ser contigo
O ser singular
O Todo igual
O limiar...
De Verdade e pasmo!
Quero Ser.

Ana

7 comentários:

Andradarte disse...

" Tudo em SI
Respira
Palpita
Sonha
Quer..."

Adorei...
Beijo

São disse...

Que poema vibrante, Ana!

Feliz semana, linda, rrss

Pérola disse...

Um querer bem firme.

Que seja como exiges.

Beijos

eduardo maria nunes disse...

Momento desejável
Aos desejos não resiste
Consumado bem amável
Com o amor sempre existe!

Belo poema amiga Ana,
Como sempre você escreve
De trabalho mais uma semana
E cara alegre!
Um beijo
Eduardo.

Fê blue bird disse...

Uma entrega total este teu poema amiga Ana.
Adorei a tua escolha, a linda pintura de Bruno Netto .

beijinho

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Vibrante, cheio de vida. Como a natureza a renascer cheia de força.
Até contagia.
Beijinhos e continuação desse tsunami da alma.
Mais beijinhos. Isabel

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

A vida é sempre outra quando somos no outro e com o outro...

Beijinho, Ana!