Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Dias em brasa



Johann Georg Trautmann (1713–1769)



E depois
Há dias em brasa
Sobre os quais
Caminhamos
Ainda

E depois
Há esta luz intensa
Infinda
Ofuscante
Plena de sóis
Repleta de cais

E navegamos
A lonjura imensa
Alongando a asa
Frágil quadrante
No dia que finda
Em brasa

Ainda

Ana

14 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

e depois há esse mar e a vida por acontecer.....

belo poema!

:)

Eduardo Maria Nunes disse...

Eu digo agora
não depois
o teu poema
bem escrito pois
só um não a teima
são precisos dois.
Mas que brasa essa,
do calor do sol ardente
nessa terra alentejana
trabalha e vive boa gente!

Um beijo.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Não sei se é de ti
Se de mim
Mas
Ainda bem
Que há dias assim
...em brasa

Talvez seja do suão
que é meu irmão

São disse...

A luz ofuscante não nos cegará nunca para aquilo que realmente importa. Aninhas.

Beijinhos para ti

Fê blue bird disse...

Ainda há poesias que nos incendeiam.

beijinho amiga Ana

Mar Arável disse...

Há dias assim alumiados

Andradarte disse...

Assim descrito, é um dia de
calor mais ameno...
BFS
Beijo

Pérola disse...

Tenho saudades desses dias em brasa.
Por aqui chove e esfria.

Uma poesia muito quente.

Beijinhos

heretico disse...

luz tão branca e intensa que ferve no olhar...

beijo

Nilson Barcelli disse...

Há dias assim, ainda...
Que nos permite ir "Alongando a asa"...
Magnífico poema , como só tu sabes fazer.
Querida amiga Ana, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia,
conseguimos voar e caminhar através da imaginação, com a luz ofuscante ou sem ela a vida acontece.
O poema é lindíssimo com belo cheiro alentejano.
Dia Feliz
AG

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Fê blue bird disse...

Amiga Ana:
Hoje venho aqui me despedir, vou de férias que bem preciso :)
Desejo-te também, se for caso disso, umas boas férias e que tudo corra bem para ti e para os teus.

beijinho

Luma Rosa disse...

No dia que finda, toda essa brasa, dá uma preguiça! (rs*)
Beijus,

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Assim se vai também ao sonho...

um beijinho