Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Azul

Asiye Aytan

Há ecos vagos
no quente calor
do Sul
Há quentes marés
de justiça e amor
azul
Há este silêncio
que o vento aquieta
ao Sul

Há uma barca à ré
que atraca quieta
num país
ao Sul
azul

Ana




11 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

O Suão
é azul
tal como a canção
que corta o silêncio
desse vento

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Ana

Por vezes um azul. que mesmo sendo azul parece cinzento.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Lídia Borges disse...


O sul, espaço de claridades raras e belas.

Lindo!

Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

só titulo já me encantou.
depois a imagem.
e depois o poema.

e nos ecos do sul
os azuis ganham mais cor
e o sol mais calor
e há sempre uma barca
que me leva e deixa sonhos

:)

Vanuza Pantaleão disse...

O azul desse belo quadro e o poema me prenderam o coração...lindo!

Graça Pires disse...

"Um pouco mais de azul - eu era além", disse Mário de Sá Carneiro.
O teu poema, Ana é muito belo.
Um beijo.

São disse...

Azul é a minha cor de eleição. Particularmente em tons intensos...

Beijinhos, Aninhas

Luma Rosa disse...

Oi, Ana!
“Poesia com Pintura”, arte em dobro! Tudo se transforma diante do azul!
Beijus,

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, a pintura e o poema são brilhantes, o azul é a cor que me encanta pela paz que transmite.
AG

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Andradarte disse...

É uma bonita cor....para
sonhar....
Diria que é um poema azul.
Beijinho

Olinda Melo disse...


Azul e Sul, conjugam-se, trazem-nos a paz e a tranquilidade ou o desejo delas: Na quietude das tardes quentes ou no silêncio das noites que convidam ao sonho.

Beijinhos

Olinda