Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 13 de setembro de 2015

Prenúncios

Sean Lewis

Doces dias de Setembro,
Secretos anúncios...
Dançantes silêncios
Onde te relembro.

E sopra o vento do Sul,
Inquietas vagas vibrantes,
Ondas frementes de azul!

Ana




15 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Esse vento que se sente
serena_mente

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, chegamos a um momento na vida que necessitamos quebrar as correntes que nos prendem para que o vento nos leve livremente.
AG

Majo disse...

~~~
~ Lindo poema!
Também sou grande admiradora de Setembro...

~ Espero que ainda cheguem os «doces dias»...
~ Hoje foi anunciado mau tempo para amanhã.

~~~ Uma semana feliz, Ana. ~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

CÉU disse...

Olá, querida Aninhas, avezinha rara (o pouco k sabia de Latim, já esqueci)!

Estás boa? Já temos noites frescas, mto frescas, para o tempo, 14 de setembro, mas no fim de semana, a temperatura vai subir. Ainda bem, pke detesto coisas e pessoas frias.

A minha querida mãe adorava o mês de setembro. Dizia ela k era mágico. Pois, pudera, tinha dado à luz, dia 02 pelas 16h, uma menina moreninha e gorduchinha: eu.

Fizeste bem em teres vindo visitar-me, pke assim vais conhecendo um pouco mais de mim, e eu não tenho nabos em sacos. Somos ambas alentejanas, tu do Alto, eu do Baixo, e se alguém da nossa família cometer um erro crasso, e se ele for no plano sentimental, tentamos tapar, encobrir, como fazem as galinhas aos pintainhos, embora a quem o cometeu, ouça das boas. Enfim, gostamos de dizer, de ralhar, mas não gostamos que outras pessoas ousem balbuciar.

Ó Ana, acho este teu poema romântico! A convivência comigo está a fazer-te bem, acho eu. Vai pensando num poema sensual. Fico à espera!
Escreves mto bem, como já te tenho dito, e este "tá" fácil da gente entender, embora haja ali um laivo de desassossego e inquietação. Moengas!

Os prenúncios vão ser a nova estação k já se aproxima, o outono. O cair da parra é terrível, em todos os aspetos.
O vento do Sul é excelente, embora possa ser frio, no Inverno, mas o do Norte é devastador.
As ondas ficam prós marinheiros e pró pessoal do litoral. Nós somos interioridades.

Tu não me "puxas pela língua", mas as conversas são como as cerejas: comemos uma, depois outra, e vamos continuando, sem perceber, sem notar.

Eu sou a comentadora, que digo mais coisas, certas ou erradas, sei lá, mas gosto de predispor a outra pessoa.

Beijinhos e boa semana.

PS. estou atrasadíssima em relação aos agradecimentos aos meus comentadores, mas têm de ter paciência, pke eu não sei ser sucinta.

Graça Pires disse...

"Dançantes silêncios". Como se as folhas das árvores lançadas pelo vento enrodilhassem com elas os segredos e a esperança...
Um beijo, Ana

© Piedade Araújo Sol disse...

setembro, o meu mês...

beijo

:)

Fê blue bird disse...

Um Setembro doce e calmo amiga Ana é o que te desejo.

Um beijinho


heretico disse...

tempo de acalmia e de frutos maduros...
e cores suaves.

beijo

Mar Arável disse...

Aguardo os belos relâmpagos

Bj

sofia disse...

Poema muito bonito!
beijinho grande

Jaime Portela disse...

Ainda a meio, Setembro já teve de tudo... desde calor a chuvas torrenciais.
E as suas palavras... das quais gostei muito.
Ana, tenha um excelente fim de semana.
Abraço amigo.

S disse...

E realmente... Tenho que a pensar a si, como.

AC disse...

Ondas frementes, que se anunciam, sulcando o azul mediterrânico...
Será anseio? Esperança? Ou simples sobrevivência?
Ondas frementes, que se anunciam, mas nelas navega muita disparidade.

Um beijinho :)

Isa Lisboa disse...

Os ventos que oiço parecem trazer-me boas notícias! :)
Um abraço

CÉU disse...

Então, mas esta "avezinha rara" não escreve nada de novo, coisas de encantar e k me fazem tanto pensar?
Olha, querida Ana, eu já escrevi. Aguardo a tua avaliação, nota. Se me deres 10, já fico contente.
Estás bem?

Boa semana.

Beijinhos.