Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 29 de março de 2016

Era na Primavera

Festa da Salgueirinha, CMPS


Todos acorriam ao clamor do Sol,
Pássaros longínquos alados de Sul,
Traziam areias e cores esbatidas...
Odores e nácares, riquezas perdidas,
E essa aguarela extensa de azul...
Paleta incendiada em cada arrebol!

Ana

5 comentários:

Edumanes disse...

Primavera sem clamor,
suave era o vento passageiro
outrora à sombra do sobreiro
para se protegerem do calor.

Esta primavera chocha,
este ano, não nos mostra simpatia
embrulhada numa colcha
quase não se deixa ver durante o dia!

Primavera com ou sem calor, desejo-lhe uma boa tarde, amiga Ana, um beijo.
Eduardo.

Sali disse...

É mesmo o dealbar. A corrente de ter fio e pressa.

AC disse...

No fundo, a festa da vida.
Tão belo, Ana!

Um beijinho :)

heretico disse...

belíssima paleta de cores e tons.

beijo

Majo disse...

~~~
Admiravelmente conciso

este excelente poema à primavera,

que desperta - de um modo sublime - todos os sentidos!

~~~ Beihinhos, Ana. ~~~