Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 4 de novembro de 2018

Ao Deus de Espinoza...





"Orfeu Encantando os Animais", por Aelbert Cuyp, 1640



Baruch Espinoza nasceu em 1632 em Amesterdão, descendendo de judeus portugueses, e morreu em Haia em 1677. Foi um dos grandes racionalistas do século XVII, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz.   
Em certos dias, apetece-me orar ao Deus de Espinoza... 




      
DEUS SEGUNDO ESPINOZA

"Pára de ficar rezando e batendo no peito!

O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e usufruas da tua vida.

Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que fiz para ti. 

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e

frios que tu mesmo construíste e que acreditas serem a minha casa.

A minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas

praias.

Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti. 

Pára de me culpar da tua vida miserável:

Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, 

ou que tua sexualidade fosse algo condenável.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar 

o teu amor, o teu êxtase, a tua alegria.

Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer. 

Pára de ler supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo.

Se não podes ler - Me num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus

amigos, nos olhos de teu filhinho...

não me encontrarás em nenhum livro!

Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais - me dizer como fazer o meu

trabalho? 

Pára de ter tanto medo de mim. 
Eu não te julgo, nem te
critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo.

Eu sou Puro Amor.    Pára de me pedir perdão. 

Não há nada a perdoar.

Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres,

de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.

Como posso culpar-te se respondes a algo que eu pus em ti?

Como posso castigar-te por seres como és, se Eu sou quem te fez?

Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos

que não se comportem bem, pelo resto da eternidade?

Que tipo de Deus pode fazer isso? Esquece qualquer tipo de

mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te

manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.

A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que

teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho,

nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.

Esta vida é a única que há aqui e agora, e a única de que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre. Não há prémios nem castigos.

Não há pecados nem virtudes.

 Ninguém leva uma placa.
 Ninguém leva um registo.

Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso dar-te um conselho:

Vive como se não o houvesse.

Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir.

Assim, se não há nada, terás aproveitado a oportunidade que te dei.

E se houver, tem certeza que Eu não te vou perguntar se foste bem

comportado ou não.

Eu vou perguntar-te se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais

gostaste? O que aprendeste? 

Pára de crer em mim - crer é supor,
adivinhar, imaginar.
Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.

Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas

tua filhinha, quando acaricias o teu cachorro, quando tomas banho no
mar. 

Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra acreditas, tu, que Eu seja?

Aborrece - me que me louvem. Cansa-me que agradeçam.

Tu sentes-te grato?
Demonstra-o cuidando de ti, da tua saúde, das tuas relações, do mundo.

Sentes-te olhado, surpreendido?
 Expressa a tua alegria!
 Esse é o modo de me louvar.   
Pára de complicar as coisas e de repetir como

papagaio o que te ensinaram sobre mim.

A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este

mundo está cheio de maravilhas.

Para que precisas de mais milagres?

Para quê tantas explicações?

Não me procures fora! Não me acharás.
Procura-me dentro de ti,
aí é que estou."



Resultado de imagem



Einstein, quando interrogado se acreditava em Deus, respondeu:

"Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo e na

harmonia de tudo o que existe.

11 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

«Pára de ter tanto medo de mim.
Eu não te julgo, nem te
critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo.

Eu sou Puro Amor. Pára de me pedir perdão.
Não há nada a perdoar.»

Esse, é o meu Deus
E nele acredito

ANNA disse...

Gracias por tu visita me alegra leer a nuevos amigas
Bona semana
Besos

ANNA disse...

Gracias por tu visita
Bona semana
Besos

Graça Pires disse...

Rezo contigo ao Deus de Spinoza…
Uma boa semana, Ana.
Um beijo.

Mar Arável disse...

Uma criação de um grande homem
Deus à sua semelhança
Bj

Edumanes disse...

Há por aí quem faça aos outros, o que não deseja para si!
Tenha uma boa noite amiga Ana.
Bjs.

Jaime Portela disse...

Um manifesto impressionante.
Não o conhecia na íntegra, obrigado pela partilha.
Ana, um bom fim de semana.
Beijo.

Majo Dutra disse...

Concordo com Espinoza, mas tenho menos fé do que ele...
Como acreditar em Deus, quando a cada hora que passa
morrem milhares de crianças com cancro após doença
prolongada? Como acreditar vendo corpos das crianças
afogadas no Mediterrâneo? E das que foram mortas na
Síria e outras zonas de guerra?
Fui agnóstica durante mais de vinte anos, contudo
clamava pelos santos da minha infância, voltei, mas
Deus continua sendo o respeitoso mistério que a
minha inteligência não alcança...
Gostei da postagem, Ana.
Abraço grande.
~~~~

CÉU disse...

Já conhecia, Ana, estas lúcidas palavras do filósofo racionalista Spinoza, proferidas no século XVII, o k ainda é mais "estranho".

Só há uma vida, esta, a k estamos a viver e adorar deus é idolatrá-lo. Não lhe peçam milagres, em troca de velas, missas ou andar de rastos para cumprir uma promessa. Que atos sem sentido, em lógica!

Tornei-me há algum tempo agnóstica, pke ando a ler esse livro traduzido e retraduzido, portanto, adulterado, chamado bíblia e há nele "coisas" incríveis, no pior sentido. Então, deus k tudo sabe, não sabia que ao criar o homem, depois Eva e a sua descendência, que estava armada a confusão geral? E esse tal deus arrependeu-se de ter criado o homem. Ora, caramba, então ele não sabia, ANTECIPADAMENTE, do k iria acontecer?

Em outras passagens, diz-se: e deus viu k era bom. Então, ele não sabia, ANTECIPADAMENTE, que era bom?

Creio k com o tempo essa crendice, quase toda de origem pagã, tenderá a desaparecer, mas mudar mentalidades leva séculos.

E 100 anos já se passaram após a 1ª guerra mundial. Os homens e as suas absurdas imperfeições e brutalidades.

Beijos e bfds.

alfacinha disse...

Esse filósofo ,filho de judeus portugueses ,chamou-se pelo primeiro nome Bento, significando abençoado. Seus amigos falaram com ele assim.
bjos

São disse...

O GRande Espírito em que creio é esse , o que não julga nem castiga e se encontra em todas as coisas vivas.

Beijinho, Ana