Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 5 de julho de 2015

O Rio

Grécia, José Alves



O poema omnipotente,
como rio mítico,
barbudo,
de cartucheira à bandoleira,
vem pela rua abaixo a buzinar
enfadando as amantes.
E o poeta
por que te apaixonaste aos dezoito
já não existe,
pois existir quer dizer
tenho casa na rua Kypséli
vá visitar-me no fim-de-semana
ou apresento-lhe a minha esposa.
Há uns tipos, em altos estrados,
a fazerem truques com lenços coloridos,
como outrora os charlatães
que vinham de carroça
e te tiraram o dente são
por dois taleres.


 Jenny Mastoráki (Poeta da não violência)
Grécia (n. 1949),
to soi, kedros, 1978.

tradução de Manuel Resende



10 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

«Há uns tipos, em altos estrados,
a fazerem truques com lenços coloridos,»

detesto dizer "sempre houve"
mas sempre houve
o que é diferente de consentir
o tal "sempre haverá"

Edumanes disse...

Rio sim, sofrimento não,
nem cartucheira nem bandoleira
porque carrega munição
nada tem mais valor, não
do que no Alentejo, a soalheira!

Tenha uma boa tarde amiga Ana, se estar de férias, que sejam bem a seu gosto, Um beijo.
Eduardo

Vanuza Pantaleão disse...

A velha e jovem Grécia de tantos poetas e filósofos, onde a democracia foi forjada para o mundo ocidental.
Um poema de simbolismo forte e belo.
Beijos, Ana!!!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, todos os dias na comunicação social, temos a oportunidade de ver os charlatães de cartucheira à bandoleira em altos estrados a fazerem de todos parvos,o poema é perfeito.
Boa semana,
AG

© Piedade Araújo Sol disse...

onde de um "rio" se faz poema...e história

:)

São disse...

Belo poema num momento importantíssimo assinado pela Grécia.


Abraço, amiga

heretico disse...

é sempre bom conhecer um novo poeta!

gostei. de verdade...

beijo

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

...e porém, deixemos às lutas interstícias a sua própria vulgaridade...

Majo disse...

~~~
~ Entretanto, o povo angustiado
vive dias
verdadeiramente desesperados...
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~ Abraço amigo. ~~~~~
.

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
O pior é que esses "charlatães" estão disseminados, sem cartucheiras mas com outras armas bem mais perigosas por que não se veem.
Adorei a escolha. E a flor também.
Beijinhos.
PS E férias para quando?
Mais beijinhos