Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 24 de maio de 2018

O Lugar da Memória



Júlio Pomar

        Olhar e sentir
por dentro do corpo a massa de que é feito o avesso dele.
Ossos músculos nervos veias
tudo o que está no corpo e mundo é
a pintura contém e depõe na tela e
se acaso aí o pintor deixou reservas
nesse sem nada o avesso do mundo se
recolhe e mostra a face.

Júlio POMAR, TRATAdoDITOeFEITO









Se Penso, Existo

Se penso, existo; se falo, existo para os outros, com os outros. 

A necessidade é o lugar do encontro. Procuro os outros para me lembrar que existo. E existo, porque os outros me reconhecem como seu igual. Por isso, a minha vida é parte de outras vidas, como um sorriso é parte de uma alegria breve. 

Breve é a vida e o seu rasto. A posteridade é apenas a memória acesa de uma vela efémera. Para que a memória não se apague, temos que nos dar uns aos outros, como elos de uma corrente ou pedras de uma catedral. 

A necessidade de sobrevivência é o pão da fraternidade. 
O futuro é uma construção colectiva. 

António ARNAUT, in As Noites Afluentes



12 comentários:

Edumanes disse...

Tudo o que seja para bem do povo que trabalho. Para sustentar políticos e os grandes grupos económicos deste pais. O PSD e o CDS, votam sempre contra. Só não quem é cego, ou não sendo cego não quer ver!

Tenha uma boa noite amiga Ana.
Um abraço.

CÉU disse...

Duas grandes figuras desparecidas, recentemente.
Ana, olha que eu não sei, se nos próximos anos teremos gente deste calibre.

beijinhos e bom fim de semana.

Majo Dutra disse...

Apreciei sobremodo esta mensagem, Ana.
Também homenageei Júlio Pomar, num texto menos poético,
mais científico, de acordo com a minha formação...
Minha querida, desejo-lhe um fim de Maio agradável-
-apesar dos pesares... que tudo corra da melhor maneira.
Abraço grande.
~~~

São disse...

Cada vez mais pobres, cada vez mais sós...

Luz e Paz para quem partiu!

Beijinhos e bom fim de semana para ti, lindinha !

Olinda Melo disse...


Dois Homens, dois ideais. Cada um deles fazendo
deste mundo um lugar melhor para se estar.

Junto-me a ti nesta homenagem tão merecida.

Beijinhos

Olinda

Mar Arável disse...

É preciso dormir de olhos abertos
BJ

Manuel Veiga disse...

dois homens íntegros.
caldeados nas dores dos corpos
e no grito eterno da Liberdade

gostei muito

beijo, minha amiga.

Lu Dantas disse...

O futuro e o agora são uma construção coletiva! ;)

Boa semana!

beijos!

https://ludantasmusica.blogspot.com.br

silvioafonso disse...

A imagem já diz por si,
mas o conceito que fazes
dela reflete mais o seu
brilho.

Encantou-me, juro.

Beijos.


.

Graça Pires disse...

Duas perdas sem recuo. Dois Homens tão úteis ao País que fica órfão deles…
Uma boa semana, Ana.
Um beijo.

Victor Barão disse...

Júlio Pomar, uma verdadeira perda cultural, que invariavelmente este País algum dia e em algum tempo tratou muito mal!

António Arnaut, uma verdadeira referência política, cuja obra muitos contrariaram, mas como norma na política agora em nome dessa e para com essa obra todos falam!

Em ambos os, dois diversos, casos, que honra lhes seja feita, também, no pós sua própria vida.

Reconhecimento à Ana Tapadas por isso mesmo

VB

AC disse...

Houve pessoas que ousaram, houve pessoas que lutaram, sabendo muito bem que não há futuro com a exclusão. Que a memória da coragem dessas pessoas nunca se apague, qual fertilizante para novas maneira de ver, de pensar, de ousar a liberdade...!

Um beijinho, Ana :)