Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sábado, 18 de outubro de 2008

Estela do Guerreiro


Fotos: Elizabete Rodrigues

Assim se escrevia na velha Ibéria, aqui pelos lados do Alentejo. Bela escrita tartéssica, vulgarmente designada por «escrita do sudoeste».
Vale a pena visitar o Museu da Escrita em Almodôvar, no Alentejo, e olhar de frente o enigma.
Um dia saberemos o que escreveram os meus velhos ancestrais, aí pelo séc. VII A.C. ...

Ana

4 comentários:

instantes e momentos disse...

muito bom voltar sempre ao teu blog. é bom vir aqui.
Tenha umbelo domingo.
Maurizio

Dédalus disse...

Tiene que ser muy interesante saber descifrar y entender la escritura de tos antiguos tartesos. Tan increíble como los pictogramas egipcios...

Besos, Ana.
Es decir: Beijinhos.

EternaApaixonada disse...

Minha querida amiga Alentejana, sempre em meu coração!
Deixo meu carinho em dia do poeta, com Florbela, nossa poetisa amada!
Uma semana linda e quem sabe em algum dia eu possa conhecer as terras queridas e dar um abraço na amiga além mar...
Beijos

Bipede Implume disse...

Vou guardar a tua sugestão para um dia, quando fôr a Almodovar.
Gosto desse mistério. Que mensagem estará lá expresssa?
Beijinhos e boa semana.
P.S. Com tem passado a tua mãe? Beijinho para ela, também.