Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 13 de dezembro de 2009

Nau, Georgio Rios

José Alves - Madeira/07




Georgio Rios tem nome de Rio e alma de mar. É um jovem talento brasileiro da Bahia.
Georgio Rios é escritor aos vinte e oito anos de idade e dedicou-me o poema que, abaixo, transcrevo com um emocionado «obrigada»!

A Bahia está a mudar a minha visão do Brasil e a a trazer de volta a memória histórica do meu próprio país. Pêro Vaz de Caminha regressa e a velha Carta do Achamento fala, ainda, da Terra da Felicidade, na qual habitam poetas genuínos e criaturas generosas!

Obrigada, meus amigos bahianos, por me recordarem que existe esse Brasil, para lá da imagem redutora das violentas megapolis que os media me atiram diariamente.

Ao Georgio o meu muito obrigada e parabéns pelo talento promissor!

Apetece-me, então, dizer com Vergílio Ferreira:

«Uma Língua é o lugar donde se vê o Mundo e em que se traçam os limites do nosso pensar e sentir. Da minha Língua vê-se o mar. Da minha Língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto. Por isso a voz do mar foi a da nossa inquietação»

José Alves - Madeira/07

NAU


Para Ana Tapadas do RARA AVIS


Cada canto destas portas ,

destes quartos,

a inclinação do aço que em vão corre

por sobre as dobras das portas

este tudo que habita ínfimos

espaços,

requer sol,

busca vertiginosamente por expulsar

as sombras que infestam as dobras,

cada milímetro que compõe o eco das paredes

cada oscilação entre mar e silêncio


Mar(Silêncio)


Março, esquecimento de muitas datas

a saliência que esparge as invisíveis gotas

da chuva que imaginamos

que desaba, sem pressa sobre a pressa

dos carros, das gentes

é preciso mostrar os dentes

ante as coisas que nos fazem menores.


Mar(Silêncio)


Para além da música: silêncio.

Para além do silêncio, as chamas, todas

que aquecem as rotas, marés secretas,

profundo mar que navegamos






«Foi na Bahia, na região de Porto Seguro e Santa Cruz de Cabrália, que a frota de Pedro Álvares Cabral chegou, em 1500, marcando o descobrimento do Brasil. » (Wikipédia)

16 comentários:

Sonhadora disse...

Ana
Lindo poema
Bela homenagem
tem muito talento
Beijinhos
Sonhadora

Marcela Soares disse...

Belíssimo poema o de Georgio. Palavras mágicas, encantadoras, ritmo leve, suave, fresco, contrapondo o peso e profundidade do silêncio. Parabéns!

Alaide disse...

Lindo poema! você é mesmo talentoso!

Alaide disse...

Lindo poema! você é mesmo talentoso!

Beto Canales disse...

legal

Silvana Nunes .'. disse...

Salve !
Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog cheguei até você e gostei do que vi.
Não se assuste, já percebi que existem alguns blogs muito parecidos com o meu, ainda bem que estou no ar desde 2006 - tem um que chega a ser discaradamente igual inclusive no corpo de letra (até o layout é igual...falta de criatividade é um problema).Infelizmente, no momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da telinha está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar um pouco mais de cuidado, mas em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em
http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura, da reflexão e enquanto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam. Pois o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos é o afeto e uma boa educação. Isso faz com que ela acredite na própria capacidade, seja feliz e tenha um preparo melhor para lidar com as dificuldades da vida. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
VAMOS TODOS JUNTOS PELA EDUCAÇÃO, NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR !
Se achar a minha proposta coerente, siga-me nessa luta por um mundo melhor. Peço que ao responder deixar sempre o link do blog, pois vez por outra o comentário entra com o link desabilitado ou como anônimo. Por causa disso fico sem ter como responder as pessoas.Os meus comentários também entram via e-mail, pois nem sempre a minha conexão me permite abrir as páginas: moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, creio que mais alto que as antenas, com isso a minha dificuldade de sinal do 3G. Espero queentenda quando não puder visitá-lo.
Daqui onde estou, os únicos sons que escuto aqui é o dos pássaros, grilos, micos., caipora, saci pererê, a pisadeira, matintapereira ... e outras personagens que vivem pela mata.
Por hoje fico por aqui, já escrevi demais. Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre e que os bons ventos sopre, sempre a seu favor.
Saudações Florestais !
Silvana Nunes.'.

disse...

Obrigada professora Ana :)

Braulio Pereira disse...

que lindo poema.
sou feliz ter leitoras como voce.

obrigado voce
+++
é ternura.
tem perfume de flor.
doçura.
Amor.
+++

beijo..

Luma Rosa disse...

O Brasil histórico é todo Portugal! A cidade em que moro possui igrejas e casarios ainda da época da colonização, em estilo jesuítico e altares barrocos. Além de muitas famílias portuguesas morando aqui, antigas e chegando outras. Vem pra cá, Ana!!

Bela homenagem!! Beijus,

Silvana Nunes .'. disse...

Salve!
Muito obrigada pela visita e por seu comentário. Hoje a conexão está dando uma colher de chá, , estou conseguindo abrir alguns blogs menos carregado e deixar o meu profundo agradecimento - é muito bom poder contar com você. Aos pouquinhos eu vou dando conta de tantos amigos, de tantos comentários e de tantas leituras interessantes que aparece. Divulgar esse imenso país com suas belezas naturais e multiplicidades culturais é a minha verdadeira intenção, afinal ninguém pode amar aquilo que não conhece, não é verdade ? Eu me apaixonei pelo Brasil aos 12 anos de idade quando li Ariano Suassuna em "O Auto da Compadecida" - Chicó foi o meu primeiro amor..Penso que falta ao povo brasileiro é esse sentimento de pertencimento, de vontade de preservar o seu espaço lutando por um mundo cada vez melhor. Vemos tantas coisas na TV, escandalos de dinheiro em cueca, em bolsas, em malas e até na meia. Se essa raça de políticos amassem o Brasil e seu povo, isso não aconteceria. Com certeza que não. Porque eles só estão pensando neles próprios, dane-se quem vem atrás : farinha pouca, meu pirão primeiro, é o pensamento de quem não tem esse sentimento de pertencimento por uma nação tão linda, tão especial. Sim, porque aqui ainda é o melhor lugar para se morar. Por isso faço questão de divulgar a nossa cultura, o nosso povo, quem sabe um dia a ficha cai...Pode até ser uma ideologia, mas acredito que o melhor caminho seja a educação, o conhecimento.
Só sei que a coisa me parece estar dando certo, porque até já andei conhecendo alguns blogs iguais aos meus, a cópia é tão grande que até o layout e o corpo de letras são iguais - assim ninguém merece...
Que a Paz e o Bem estejam sempre com você e mais uma vez muito obrigada pelo seu carinho para com o meu trabalho.
Um grande abraço,
Silvana Nunes.'.
Saudações Florestais !
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Georgio Rios disse...

Para a amiga Ana, meu muito obrigado!!Aos amigos que leram este poema meu muito orbigado também!!!

Gerana Damulakis disse...

Foi uma linda homenagem, Ana. Se eu soubesse fazer poemas, também te dedicaria algum, você é inspiradora e cativante. Beijo grande.

cantinhodabrisa disse...

linda mensagem. Esta acontecendo uma promoção no meu blog, 20 convites para usar o novo ORKUT, depois passa por lá e se inscreve !!!!

Beijo

http://cantinhodabrisa.blogspot.com/

Nilson Barcelli disse...

O poema é muito bonito, querida amiga.
Ficaste babada...
imagino.
Beijos.

Fernando Campanella disse...

Muito bonitos os poemas do Georgio, Ana, que bom que cedes teu espaço para divulgar os irmãos em poesia do Brasil. Bjos, obrigado pela carinhosa visita, adoro ver vc lá em meu espaço também. Até mais.

claudio rodrigues disse...

Ana, tem presente melhor que receber de além-mar um poema exclusivíssimo. Já reparou que agora estamos a fazer um descobrimento às avessas?! OU será re-descobrimento? E essa foto da nau é linda.