Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 4 de março de 2010

Da Justiça


Recordo a majestade da velha taifa de Zaragoça abrigada aos pés da Virgem do Pilar e sinto o peso imponente da Espanha que emerge entre restos de Império Romano e pedaços do califado de Córdoba.

Em Aragão, olhando o rio Ebro, faço sínteses mentais sobre a Justiça e quiçá esta chuva que tomba, insistente e miúda, lave a alma mesquinha de gentes quezilentas e cheias de si mesmas.
Aqui a História pesa e Reis Católicos já não se chamam Fernando e Isabel...


Medito, mas não rezo. Que Credo gostariam que professasse? As religiões do Livro desencontram-se nas esquinas da História e rituais que são hábitos só vestem de trapos túmulos caiados.



O meu Credo é de silêncio e sei que a Primavera germinará no coração do Homem justo.


Fotografias de José Alves: Saragoça

19 comentários:

Andradarte disse...

Bonita descrição, valorizando
as imagens.
Beijo

Sonhadora disse...

Minha querida Ana
Lindas imagens.
Um beijinho com carinho

Sonhadora

CECILE PETROVISK disse...

Ana,


Venho aqui também em nome do Adriano Nunes dizer que sempre estamos lendo as suas pérolas e muito aprendendo!


Bejo e abraço fraternos,
Cecile.

Gerana Damulakis disse...

Vc está me tentando com essas fotos, Ana.E vc sabe que não quero lá voltar.Voltaria por suas fotos.

claudio rodrigues disse...

Ana, estou viajando junto com vc. Qunatos lugares lindos. A catedral da Sagrada família é um primor. Abraços brasileiros!!!

Fernando Campanella disse...

Também aqui a mais linda inspiração, lindo amálgama de palavra/imagem. Parabéns, querida amiga. Bjinhos.

Meg disse...

Ana,

Bonita demais a "viagem" e as sínteses mentais sobre a Justiça - que ainda escreves com maiúscula!
Eu já desisti.
Magníficas fotografias.

Bom fim de semana, Ana!

Um beijo

Cristina disse...

Lindo reportagem.
Bom fim de semana,beijinhos.

LUNA disse...

De um lado do rio Ebro, poderoso, por outro lado, a grande praça com a Basílica que abriga a Virgem Pilar da qual muitos são dedicados na España.
Padroeira da Espanha, baixo a sua imagen, passaram todos os anos muitas crianças, para que toque o seu manto, e receber sua bênção.
Crenças são uma coisa, outras tradições ...
Assim, se vive nesta terra ....
Um post maravilhoso, Ana, como todos os que fazes.
Um beijinho

Nydia Bonetti disse...

Professar a crença na justiça, talvez seja a mais bela profissão de fé. Também creio na primavera dos Homens - tudo em silêncio. Que maravilha de post, Ana! Bonito demais. Beijo.

rita disse...

Talvez sim, mas no meu caso há quem me condicione!
Gostei das imagens ;)
Beijinho

Sofia Carvalho disse...

Ana, as tuas iamgens acompanhadas dos teus textos deixam qualquer a pensar...Grandes imagens querida!

disse...

Cada vez que passo no seu blog fico com mais vontade de ir a Espanha...
Obrigada professora.
Beijinho

Denise disse...

Sim Sim Sim

nenhuma oração e fé é melhor da q se faz em nós,no silencio de nossas coisas.

saudades
afagos

Anónimo disse...

I just discovered the website who reviews about
many
home business reviews

If you want to know more here it is
home business reviews
www.home-businessreviews.com

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Vou levar esta frase comigo:
"O meu Credo é de silêncio e sei que a Primavera germinará no coração do Homem justo."
É o que eu penso...sinto, com a diferença que tu o dizes em frases tão inspiradas.
A Net só agora me deixou postar este comentário. Tenho uma Net intermitente.
Beijinhos, amiga e um bom fim de semana.
Isabel

Georgia disse...

Gostei demais das imagens. Sensacionais.

Bom fim de semana

Bjos

Dalva disse...

Aninha, boa tarde!

Uma viagem recheada de história é um presente para os seus leitores! Além das lindas imagens, os textos são muito eloquentes e transmitem claramente seu estado de espírito... compartilho e aprecio este "credo do silêncio".

Bjs.

P.S. Obrigada pelo carinho no Infinito Particular...
(sou a Flor do Interlúdio...)

=)

Antoniatenea disse...

"Medito, mas não rezo. Que Credo gostariam que professasse? As religiões do Livro desencontram-se nas esquinas da História e rituais que são hábitos só vestem de trapos túmulos caiados".

"O meu Credo é de silêncio e sei que a Primavera germinará no coração do Homem justo"
Me parece preciosas tus fotos de Zaragoza, pero tus reflexiones, que son muy profundas, me parece que las comparto totalmente.
Mis felicitaciones, Ana.
Un beso!