Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Da Realidade





Salvador Dalí




Que renda fez a tarde no jardim,
Que há cedros que parecem de enxoval?
Como é difícil ver o natural
Quando a hora não quer!
Ah! não digas que não ao que os teus olhos
Colham nos dias de irrealidade.
Tudo então é verdade,
Toda a rama parece
Um tecido que tece
A eternidade.


Miguel Torga, in 'Nihil Sibi'

8 comentários:

Karin disse...

Ana,

belos poema e imagem.

Gosto muito de Dalí.

Um abraço!

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Um poema muito bem escolhido, aliás tudo aqui é pensado e escolhido com muito bom gosto e saber.

beijinhos

Eva Gonçalves disse...

Por vezes, é difícil ver entre a irrealidade E a incerteza entre a realidade e a irrealidade é cada vez maior. Creio no entanto, na realidade invisível, na eternidade tecida... e dou graças por isso.

Vieira Calado disse...

Olá, como está?

Hoje passei para lhe desejar

BOA PÁSCOA!

Bjjss

Rita disse...

(; Não é estranho... mas a teimosia não permite dar asas, que se há-de fazer. Beijinho e boa pascoa professora!

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Miguel Torga sempre me ajuda a exprimir a minha própria alma.
Esta poema, que sabiamente, escolheste, enternece-me profundamente.
Tens razão, por vezes, também desejaria dizer "mais" no meu blog, mas contenho-me...e muito.
Quero que continue com calma.
Que a tua Páscoa seja um renascer de tudo de bom que mereces.
Beijinhos.
Isabel

Nilson Barcelli disse...

Grande Miguel Torga...
Tem uma Páscoa muito feliz.
Beijos.

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje passando para desejar uma Páscoa Feliz,cheia de amor e paz, junto de todos que ama.

Beijinho com carinho
Sonhadora