Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Porque


CM Évora


Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

                      Sophia de Mello Breyner Andresen

3 comentários:

Fê-blue bird disse...

Amiga:
Sophia de Mello Breyner Andresen e o seu mais belo e pungente poema.
Excelente escolha da imagem.

beijinhos

Mel de Carvalho disse...

Sophia estará sempre no leque dos meus poetas de eleição.

Um abraço daqui.
Mel

JPD disse...

Boa noite, Ana

Lembro-me perfeitamente a força e o empenho que Fanhais punha na interpretação destes versos.

Era extraordinário.

Poesia de excelência!

Belíssima escolha.

Bjs