Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Sugestão de leitura





São os tempos que vivemos. Muito ruído e muita mentira. Muito medo e muita euforia. Como todos, este é o tempo que o rio me concedeu para navegar... 



O livro pouco volumoso de  Byung - Chul Han é a minha mais recente leitura. Muito do que somos, socialmente, reduz-se as estas páginas do filósofo.
«O cansaço  tem um grande coração.», diria Maurice Blanchot
Perto do fim, o autor alerta-nos:

O cansaço desarma. No olhar lento e moroso do homem cansado, a firmeza dá lugar à serenidade. pág. 56



Estranhos tempos vivemos. A actividade intensa dos nossos dias conduz-nos a uma atitude de indiferença indefesa e solitária. Há muito que sabíamos disto mas, vê-lo escrito e fundamentado, incomoda e desperta. 

Precisamos, com urgência, de voltarmos a ser firmes! E...menos cansados, apesar desta contractura que me aprisiona a perna, por causa do excesso dos dias cansados.




15 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Talvez siga a sugestão
talvez não

Há muito que não leio nada
Pego num livro e não chego à segunda página
Disperso-me... não me concentro...

Tudo está a acontecer ao mesmo tempo

(sempre que oiço falar em cansaço, ocorre-me um poema de Brecht)

alfacinha disse...

Ainda tenho que ler muitos livros dos formosos autores portugueses que ainda não tenho lido .
abraços

Just Fantasy Bijuteria disse...

É um tema que se aplica bastante à sociedade atual, parece muito interessante!

Gil António disse...

Visitei e gostei muito do seu blogue. Voltarei.

A sugestão de leitura é muito salutar
.
Domingo feliz. Até já
.

Graça Pires disse...

Obrigada pela sugestão, Ana.
Uma boa semana.
Um beijo.

São disse...

O cansaço implica desesperança e eu recuso-me a isso.

Amiga, fica bem e grato abraço pela sugestão

Manuel Veiga disse...

gostei muito da tua reflexão...

mas como bem sabes existem "milhares" de livros a explicar o mundo...

quando o que importa é "transformá-lo", como dizia, há mais de dois séculos, um velho filosofo com opulentas barbas.

beijo, minha amiga

CÉU disse...

Olá, Ana!

Não conheço nem o livro, nem o autor, mas gosto de Filosofia, em geral.

Não sei para onde caminha esta sociedade, não sei, mas acho as pessoas muito barulhentas e desatentas, tipo "Maria vai atrás das outras". Entendes?

Estamos cansados de ver anormalidades no mundo, mas o que podes tu ou eu fazer no nosso pequeno mundo? Podemos, alguma coisa, sim, mas somos uma gotícula neste mar de tormentas, mas gota a gota...

Penso que o diálogo e a existência de uma consciência satisfatória, conduzir-nos-iam a um estado de serenidade e entendimento, que nada tem a ver com apatia.

Beijos e qdo te for possível aparece. As melhoras, de quem cuidas com tanto esmero e amor.

AC disse...

Quanta lucidez no que transcreve, Ana.
(Apontei o nome do autor, que não conhecia)

Abraço :)

Luma Rosa disse...

Oi, Ana!
Estamos em sintonia! No blogue também faço alguns questionamentos no sentido desse autor que ainda não conheço. Já anotada a sugestão de leitura!
Não devemos nos entregar! Não devemos deixar de lado a nossa humanidade! Que a massificação do homem não permita que os nossos corações fiquem áridos! Que o amor impere e que possamos voltar ao ponto em que houve o desvio. Só queremos viver em paz!
Beijus no coração!!

Jaime Portela disse...

Quem corre por gosto não cansa... já dizia a minha avó...
O que eu acho mesmo é que há falta de gosto à nossa volta, seja dos colegas de trabalho, dos políticos, da comunicação social, etc., etc. É uma verdadeira epidemia contagiosa...
Anotei a tua sugestão, parece-me boa.
Bom fim de semana, amiga Ana.
Beijo.

Olinda Melo disse...


Olá, Ana

Muito obrigada por esta sugestão de leitura.
O título é bastante elucidativo, vemos logo
a doença de que sofre o nosso mundo, e que
muito nos incomoda.

Gostei muito das tuas reflexões.

Beijinhos

Olinda

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, a sugestão para ler Chul Han é perfeita, acredito que a leitura não é impeditiva para as pessoa influenciáveis deixarem de ser contagiadas pelas ofertas que entram em casa sem pedir licença, principalmente atravez da comunicação social, ofertas que influenciam a viver "Estranhos tempos vivemos."
Feliz semana,
AG

Mariazita disse...

Agradeço a sugestão, Ana.
Nesta altura do Natal, em que é mais frequente oferecer prendas, entre os meus amigos e familiares oferecemos muitos livros (todos nós gostamos muito de ler). E depois emprestamos uns aos outros :))) Assim nunca falta leitura.
Achei a reflexão muito interessante.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Um livro é sempre uma excelente sugestão. Vou tomar nota. Como sempre de ti espero o melhor.
Andei um pouco, não direi, cansada mas sem inspiração nenhuma.
Mudar de casa é mais complicado do que eu pensava. Eu que já mudei de casa e país mais do que os dedos que tenho nas mãos.
Desejo do coração que tudo esteja bem contigo.
Beijinhos de muita amizade.