Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Traços

Schoen Erhard, 1538






As primeiras  tentativas cubistas do século XVI são impressionantes...
Não costumamos imaginar, assim, a pintura desta época. Desconstruamos o olhar formatado.



Luca Cambiaso (1527–1585)





O Homem...na sua busca de encontrar fábricas de sonhos.



9 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Traços
não acredito em homens deitados
talvez
talvez
talvez haja mais quadros

o último quadro
deva ser (re)formatado

ou o meu olhar
quem sabe?

Majo Dutra Rosado disse...

Desconhecia estes desenhos, mas tudo me leva a crer
que foram inspirados nas armaduras militares...
A batalha de Alcácer Quibir foi em 1578 e o uniforme
do exército era formado por pesadas couraças...
Foi, então, que as vestes metálicas começaram a cair
em desuso, com a ajuda de Miguel de Cervantes...
Melhoras... Abraço, querida Amiga.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Olinda Melo disse...


Querida Ana

Realmente o nosso olhar encontra-se completamente formatado,
em relação à pintura do sec.XVI. Se nessa altura já se faziam
essas tentativas o que dizer então da paternidade a tribuída
a Picasso e outro quanto ao cubismo, no início do Sec.XX? Pelo menos,
é o que é transmitido aos leigos...
O movimento que se adivinha no segundo quadro é fantástico.

Beijinhos.

Olinda

CÉU disse...

Olá, Ana!

É verdade. Schoen era bastante polémico na sua vida particular e profissional e nasceu e morreu no século XVI na Alemanha. A sua pintura, na maior parte das vezes demonstrava luta de quereres e de ideais. O facto da sua conversão ao Luteranismo, antes era católico, fez com que a sua pintura se "agudizasse". O pai, que tb foi pintor, foi bem mais "brando".

No Cubismo do século XX, sendo seu "pai" Picasso, como toda a gente sabe, as linhas da pintura, as tais retas já eram mais marcadas e "perfeitas", como se se passasse de escrita simples a escrita a negrito. As figuras humanas encontravam-se já em polvorosa, bem "gravadas", talvez procurando mais e melhor, sonhos, como tu lhe chamaste, que não sei se já concretizaram. Penso que não.

Beijinhos, BOAS FESTAS E BOM 2018, feito, sobretudo por nós.

alfacinha disse...

o periódo de renaissance era periódo de criação . Então porque não o cubismo.
Abraço

Manuel Veiga disse...

não imaginava! "aprender, aprender, aprender sempre!

grato pelo teu comentário no meu espaço.
sempre generosa e amiga

beijos

Graça Pires disse...

Um artista não nasce acabado. A arte é um processo em que o artista vai descobrindo a arte e se descobre nela...
Um beijo, Ana e desejos de um bom Natal e que o novo ano te traga motivos de esperança e muito amor e muita saúde.

Mariazita disse...

Bom dia, Ana
A minha visita de hoje tem apenas como finalidade desejar BOAS FESTAS.
E, para isso, nada melhor do que fazer-me acompanhar de Mahatma Gandhi (Mahatma – “A grande Alma”), e suas sábias palavras:

“Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos.
A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora.
Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
A capacidade de escolher novos rumos.
Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável:
Além do pão, o trabalho.
Além do trabalho, a acção.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída."
(Gandhi)

UM SANTO E FELIZ NATAL!

Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Fá menor disse...

Que os sonhos sempre comandem a vida.

Votos de um Santo e Feliz Natal e óptimo Ano Novo!

Bjos