Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Homo sum: humani nihil a me alienum puto

google
[Arabic]
(Sou Homem: nada do que é humano me pode ser alheio, Terêncio)

 

http://2.bp.blogspot.com/-4XwWTuu8jpo/TV_J-HKZmqI/AAAAAAAADXU/3JYqoJ5Gpbo/s400/11049453.jpeg
 Líbia

 Ibrahim al-Koni, o maior romancista da Líbia, no seu livro A Pedra Que Sangra,  cita esta canção sufi que, hoje, aqui deixo:


O deserto é um verdadeiro tesouro
para quem busca refúgio
dos homens, da maldade dos homens.
Nele há contentamento,
nele há morte e tudo que procuras.


       

10 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite, minha amiga!

Depois duma prolongada e forçada ausência

aqui estou de novo, aos pouquinhos,

a visitar os amigos.

Saudações minhas

s. disse...

Essa frase faz todo o sentido, hoje.
Beijinhos

Maria Luisa Adães disse...

Linda mudança junto com o Mestre
Salvador Dalí.

Regressei e agora posso estar mais livre para meus amigos, como a senhora.

Os poemas têm o ritmo do Brasil e
vão contando a meu modo o que vi,
com outros olhos, talvez os olhos da alma.

Seu blogs ficou lindo e a imagem e palavras que nos apresenta, mostra
o que deveria ser a forma de viver.

Será um dia?
Séculos vão passar,
o planeta se vai transformando e
mudando, a cada dia e pretensas
civilizações vão desaparecendo.

É uma forma honesta de sentir.

Beijos e obrigada

Maria Luísa

Ana Lucia Franco disse...

Querida Ana, belo aforismo, nada do que é humano pode ser alheio, objeto de crítica ou espanto, para quem vive autenticamente..

bjs.

Nilson Barcelli disse...

Pois... o deserto é uma fonte de surpresas.
O que se está a passar na Líbia vai ter um enorme impacto em todo o mundo... porque, depois do Egipto, a coisa não vai ficar por aqui...
Beijos, querida amiga.

LUNA disse...

Duas frases que muito têm a ver com os sentimentos que dominam ao homen por toda a sua voda...
amor e morte...
Estamos a vê´lo estos dias...
Muito duro.
Beijinhos.

Andradarte disse...

Cada um se adapta ao que é seu....
E isso é bom....muito bom...
Beijo

JPD disse...

Está a ser surpreendente como subitamente todo o Magrebe convulsiona e as suas ditaduras estão a cair.

Aos olhos do Ocidente, a esperança daqueles povos num novo regime que lhes facultes a satisfação de necessidades básicas é premente.

Até que ponto o peso da religião, da cultura, e do grau de desenvolvimento das respectivas economias, vão aguentar a convulsão e tolerar reformas para alterar o padrão, é uma incógnita.

Veremos.

O poema é extraordinário.

Bjs, Ana

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Ninguém, verdadeiramente, pode ficar indiferente.
O mundo está em transformação.
Convulsões sociais e fenómenos climatéricos cada vez mais frequentes. Precisamos pensar muito seriamente.
Quando te constipas a Sandra segue o figurino. Mas, desta vez, foi a Luisa que te fez companhia. Nada de complicado, espero.
E tu, com estás?
Beijinho
Isabel

Fê-blue bird disse...

Excelente poema que ilustra bem o que se passa na Líbia.
Momentos muito difíceis para um povo oprimido pela ditadura de um vilão.
Estamos a assistir a uma grande mudança.

beijos