Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Poemazinho eterno

Aldano Langa





Os amigos
eram falsos como Judas.
Ah, como Judas, não.
Judas arrependeu-se.

Os amigos
eram mesquinhos como Judas.
Ah, mesquinhos como Judas também não.
Judas vendeu Cristo
e enforcou-se.

 José Craveirinha



http://www.fflch.usp.br/dlcv/posgraduacao/ecl/pdf/via05/via05_08.pdf

6 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Deixo-te um beijinho com muito carinho e amizade (sincera tu sabes).

Sonhadora

Andradarte disse...

É...muito difícil ser AMIGO....
Beijo

Ana Tapadas disse...

Só quis divulgar o carácter acutilante do poeta Moçambicano...
Beijo, amigos.

Valquiria Calado disse...

A sensibilidade do poeta em expressar as impossibilidades de encontrar fidelidade, seria o drama de sempre?

Abraços querida, bom fim de semana.

irneh disse...

Muito, muito bom!!!
Beijinho e bom Domingo, amiga.

Laura disse...

Excelente ! Beijinho