Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Teia

Paisagem de Giotto: detalhe da "Fuga ao Egito" da Cappella degli Scrovegni em Pádua1304-06.



Gosto da noite, da sua cor...
Há muito, ela acolhia minha dor
Em silêncio, compreensiva e bela,
E eu adorava a sua beleza singela.

Há muito, em criança, ela era uma amiga.
Eu ficava com ela, trauteava uma cantiga.
E a noite afagava, terna, o meu rosto
E eu corria, a esperá-la, à porta pelo sol - posto.

Via-a descer, soturna, imponente...
No meu peito uma coisa estranha!
Noite: uma imensa teia de aranha
Ia sumindo o sol, lentamente...

Qualquer coisa se quebrava mal o sol nascia.
A avó erguia-se do leito, serena...
A avó...um pedaço de noite, pequena,
No seu fato negro anunciava o dia!


Ana

16 comentários:

Luma Rosa disse...

Noite terna, sono éter, sonhos eternos...

As benesses de uma infância segura! Pois para muitas crianças a noite chega com terrores noturnos e solidão.

Boa semana! Beijus,

sofia disse...

Olá !

Muito bonito! Gostei muito! :)
beijinho*

Andradarte disse...

Memórias...pouco diferem no geral...
Beijo

MARU disse...

Uma bela poesía que fala de amor, de beleza, de solidäo compañada... Gostei muito, querida amiga.
Fico com ela no meu coraçäo.

Sam Seaborn disse...

Fico sempre maravilhado com os teus poemas e com a delicadeza com que transmites a mensagem. Grande beijinho

Olinda Melo disse...

Noite amiga e companheira mas também noite 'coisa estranha'.Antes havia a lua que amenizava e também era a companhia dos namorados...e assim se vai tecendo a teia do tempo.

Lindo poema, como todos os seus poema!

Beijo

Olinda

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Este poema é de uma imensa ternura. É reconfortante lembrar aquelas figuras protectoras da nossa infância.
Beijinho de boa noite.
Isabel

Diu Mota disse...

A nossa imaginação é que define as noites...
Parabéns pelo Blog
estarei por aqui.
inté

Diu Mota disse...

A nossa imaginação é que define as noites...
Parabéns pelo Blog
estarei por aqui.
inté

Cátia disse...

Gostei muito :) beijinhos e até breve *

São disse...

É bom recordar uma infãncia assim...

De Pádua só visitei a Basílica de Santo António e fiz o giro de autocarro, pouco mais.

Bom final de semana

Vieira Calado disse...

Recordações de infância

fazem sempre poemas cheios de ternura!


Bom fim de semana!

Bjsss

Margarida disse...

Olá prof.ª! Espero que esteja tudo bem consigo. Não tenho andado muito virada para as novas tecnologias, há que aproveitar os últimos dias de férias para apanhar ar, antes de ir para a capital.
É verdade, está quase, parece irreal... A profª já está a trabalhar não é?!
Beijinhos e bom começo do ano lectivo!

Fê-blue bird disse...

Minha amiga:
A noite e o imaginário infantil.
Um poema terno e delicado que te revela.

beijinhos

BlueShell disse...

Muito bom, na construção e naas imagens que transmite. Adorável, mesmo.
Bj

Laura disse...

A minha avó também gosta assim da noite...
Beijinhos com saudades.