Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 10 de junho de 2013

10 de Junho



EBC

As amoras

O meu país sabe a amoras bravas
no verão.
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.

Eugénio de Andrade, O outro nome da Terra



(google)

3 comentários:

Fê blue bird disse...

Um país que embora amargo levamos sempre no coração.

Também estou triste neste dia minha amiga.

beijinho


O Puma disse...

... entretanto Cavaco subiu ao palco
para mais um número

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

FIca bem homenageado este dia com este poema de que tanto gosto. parabéns. E um beijo amigo