Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sábado, 1 de junho de 2013

Portugal, povo de suicidas



Unamuno

«- Que doutrina horrível! , digo para mim, guardando o jornal no bolso, e recordo Alcácer-Quibir e o rei D. Sebastião, o terramoto desta cidade de Lisboa, D. Pedro V, o Hamlet português e o seu mestre Herculano, cujo soberbo túmulo contemplei esta mesma tarde nos Jerónimos e, por último, torna a surgir diante de mim o enigmático e triste sorriso de Eça de Queiroz.
Entretanto vai e vem a gente desta cidade cosmopolita; parece contente, ri, gesticula, corre para os seus negócios ou para as suas distracções. E um observador satisfeito poderia dizer ao vê-los:
" Este é um povo como todos os outros; aqui não acontece nada."
E, não obstante, o povo desta terra, Portugal, é um povo triste.
Sim, é um povo triste. E daqui resulta o encanto que tem para alguns, apesar da evidente trivialidade das suas manifestações exteriores.
[...]
Portugal é um povo de suicidas, talvez um povo suicida.»

Miguel de UNAMUNO, Portugal povo de suicidas, p.p. 72-73


Fecho o livro. Vou comprá-lo também. Se não me afastar da Feira do Livro, arruíno-me. Hoje, vi Lisboa pelos olhos do iberista.

12 comentários:

Rogério Pereira disse...

Sim, é um povo triste
Que aqui e ali ainda resiste

JP disse...

Portugal é um povo triste (O Fado não é a canção emblema?) e, pelos vistos, também um povo suicida.

Beijinho

heretico disse...

um povo triste que ri de si próprio? e geme suas amarguras calado...

beijo

Mar Arável disse...

Na verdade rasteja carrega andores paga aos "santos" esmola favores aos poderes que promove covarde invejoso dos seus pares
triste suicida aventureiro
mas solidário contraditório e lutador resistente silvestre
sonhador
Amo o meu povo os seus defeitos e virtudes "que ri de si próprio"
e chora e canta e sofre
Somos tantos povos num chão sem fronteiras nem destinos
a aprender a aprender sempre
Bjs amigos

São disse...

Por isso mesmo é que nem ponho os pés na Feira do Livro, tenho montes de livros para ler e continuo comprando como se tivesse só vinte anos!

Sabes que vieste ao encontro com esta citação de Unamuno da duríssima realidade que a comunicação social portuguesa - obediente à voz do dono - não aflora sequer: os suicídios diários estão subindo em flecha.


Uma noite serena, amiga

Samuel Balbinot disse...

è não Portugal segundo a livros de eubiose que tenho lido é um lugar divino assim como o Brasil bjs e um lindo dia

laídandoversos.blogspot.com

Margarida disse...

Lisboa tem um encanto especial. As pessoas são mecânicas, o desafio é descobrir o que vai dentro delas... Em Lisboa quase nada é o que parece.

Beijinhos

Fê Blue bird disse...

Amiga Ana:
Já tinha lido este excerto que me tocou profundamente, pela verdade descrita.
Um livro que está na minha lista.

beijinho

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Venho deixar um beijinho e um "até breve".
Parece impossível mas estou cheia de trabalho e,por isso, vou descansar o blogue.
Grande chi-coração
Isabel

Fa menor disse...

" Este é um povo como todos os outros; aqui não acontece nada."

:)

Bj

Pérola disse...

Somos um povo pacífico e acomodado.

Não suicida. Esses são mais do norte da Europa.

beijinho

Olinda Melo disse...


Olá, Ana

Um povo paciente,que espera para ver...talvez aqui resida a sua temeridade.

Bjs

Olinda