Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Entre o medo e o sonho

José Alves, 2014
Entre o medo e sonho caminhámos um dia.

José Alves, Rio Lima - 2014
Atravessámos rios, cruzámos montanhas.

José Alves, Peneda - 2014
Seguimos em frente, passámos incólumes.

José Alves, Minho - 2014
Bebemos nas fontes, chegámos inteiros!


Ana


14 comentários:

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Apesar das dificuldades estamos mais fortes de convicções.
Lindas fotos. A da serra da Peneda lembrou-me a minha escola primária onde cantarolávamos as serras: Peneda Suajo, Gerês, Larouco, Barroso e Falperra.
Beijinho de amizade
Isabel

São disse...

Maravilhosas fotos , muito bem legendadas.

Um bom período pascal para vós, minha amiga

Rogerio G. V. Pereira disse...

Entre o medo e o Minho, chegar inteiro não é proeza, é sonho!

:)

Graça Pires disse...

Muito belo o poema intercalado com as imagens.
Beijo.

Mar Arável disse...

Inteiros

num dia limpo

Bj

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Eu senti uma revolta tão grande que a minha costela minhota se manifestou.Tenho a certeza que compreendes...
Até ao dia 25 publicarei fotos de Alcântara-mar
Beijinhos
Isabel

Andradarte disse...

O que é preciso....é chegar-mos a bom porto....
Magnífico o acompanhamento com
as imagens......
Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

entre o sonho haverá sempre o medo,

mas que nunca exista o medo de sonhar.

:)

Lídia Borges disse...


Que os desgastes da viagem não nos dividam.

Um beijo

sofia disse...

Que poema bonito!

um beijinho com saudade

O Puma disse...

Em MAIO

recriar os cravos

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Tão pouco e tanto!

Beijo amigo

heretico disse...

itinerário da água - bebida por nossos dedos.

belas e cristalinas as palavras e imagens que deixas.

beijo

Margarida disse...

É o medo que nos mantém vivos e que nos ajuda a chegar inteiros.

Beijinhos grandes,
Sara