Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Pátria



José Alves, Monsaraz

Por um país de pedra e vento duro
Por um país de luz perfeita e clara
Pelo negro da terra e pelo branco do muro

Pelos rostos de silêncio e de paciência
Que a miséria longamente desenhou
Rente aos ossos com toda a exactidão
Do longo relatório irrecusável

E pelos rostos iguais ao sol e ao vento
E pela limpidez das tão amadas
Palavras sempre ditas com paixão
Pela cor e pelo peso das palavras
Pelo concreto silêncio limpo das palavras
Donde se erguem as coisas nomeadas
Pela nudez das palavras deslumbradas

- Pedra rio vento casa
Pranto dia canto alento
Espaço raiz e água
Ó minha pátria e meu centro

Me dói a lua me soluça o mar
E o exílio se inscreve em pleno tempo.



Sophia de Mello Breyner Andresen

11 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Não sei se o que leio é hino ou bandeira

mas é mais que um símbolo, pois estes se escrevem com traços e não com estes ternos e doídos versos:

" - Pedra rio vento casa
Pranto dia canto alento
Espaço raiz e água
Ó minha pátria e meu centro

Me dói a lua me soluça o mar
E o exílio se inscreve em pleno tempo."

Bau Literário disse...

Olá, Ana!
A sua presença no meu pequeno Blog é um bálsamo. Fico feliz em recebê-la, sempre.
Um grande beijo e que a paz de Deus esteja sempre contigo.

Andradarte disse...

Um belíssimo poema de Sophia....
.................
Volta à barriga da terra
que em boa hora o pariu
agora ninguém mais cerra
as Portas que Abril abriu....
Bom Feriado
Beijo

Evanir disse...

Plante em seu coração a sementeira do amor,
pois assim ampliarás o seus dias de alegria.
Que o senhor ilumine os seus caminhos levando a tristeza sempre pra longe,
bem longe de você.
Enchendo seu coração com a divina fé,
Continue a ser essa pessoa maravilhosa que você é,
e seu coração estará a onde
estiver a sua alegria de viver.
Um feliz e abençoado final de semana.
Beijos paz e luz ,Evanir.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida Ana

Uma bela escolha...adoro a poesia de Sophia e este poema é soberbo.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Nilson Barcelli disse...

Grande poema de uma grande poeta.
Magnífica escolha.
Ana, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Laura disse...

Está longe de ser dos meus poetas preferidos, mas gostei muito deste poema :) beijinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

uma belas escolha.

bom fim de semana.

beijo

:)

Vieira Calado disse...

Bem bonito!
Agora tenho vídeos sobre o tema 25 de Abril, hoje, no Centro Cultural de Lagos.
Estarão lá até Julho.
Beijinho para si!

heretico disse...

negros são os dias de degredo. e do exílio interior.

que não voltem!

gostei de ler aqui tão belo poema.

beijo

Graça Pires disse...

Gosto sempre de ler a Sophia. Ela sempre disse tudo o que gostaríamos de dizer sobre esta pátria onde "me dói a lua me soluça o mar
E o exílio se inscreve em pleno tempo."
Obrigada por tê-la aqui.
Um beijo.