Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Eurocracias...

 (couves de Bruxelas)
imagens  google


14 comentários:

Eduardo Maria Nunes disse...

Eurocracias, não rima com liberdade,
com personalidade também não rima
talvez possa rimar de com desigualdade.
O repolho, sim rima com zarolho, zarolho é cego, não vê por onde anda, mas diz que é o caminho certo!

Bom fim de semana para você amiga Ana Tapadas, um beijo.
Eduardo.

Graça Pires disse...

Eu gosto mais da couve portuguesa, Ana. Percebo a tua ironia...
Um beijo.

Olinda Melo disse...


Hahaha!

Bem apanhada essa!

Essas aí não precisam de eurodeputados para se imporem.

Bjs

Olinda

Andradarte disse...

Pois é....com umas pernas tão carregadas de parasitas....é
natural que a caminhada seja difícil....
Um bom fim de semana
Beijo

José María Souza Costa disse...

Olá, bom dia.
E chegamos ao fim de semana. Com saúde, paz espiritual. uns com os seus desejos, outros com as suas manias, e outros sem desejos e sem manias. Mas, o importante, é que atravessamos, mais esse mar de nuances, vivos.
Que o Criador, tenha sempre compaixão de nós. Precisamos.
Um abraço.

São disse...

rrrsss rrssss

Não existem nabos de Bruxelas?! Ou só aqueles postiços que nós conhecemos?

Minha amiga, abraço grande e boa votação

. intemporal . disse...

.

.

. de Bruxelas . nem as couves se salvam . ácidas e amargas . como as íris dos donos da Europa .

.

. bom fim.de.semana .

.

.

Fê blue bird disse...

Amiga Ana :

Não as aprecio causam-me flatulência :)


beijinho

Lídia Borges disse...


Há couves que nos amargam as receitas e a existência.

Um beijo

Mar Arável disse...

Nesta europa

vence a minoria

© Piedade Araújo Sol disse...

não aprecio...

sorri

:)

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Bem saboroso...o sorriso que estas imagens me deixaram.
Boa maneira de começar mais uma semana.
Beijinhos

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Nada como a terra na sua natureza... mas há quem a adultere com parâmetros burocráticos, como se os legumes e o resto fossem esquadrinhados em autómatos de verde forçado...

heretico disse...

bastante indigestas tais couves, sim!

prefiro a tronchuda portuguesa e não desdenho uma couve galega...

beijo