Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Sobre o arame

AFTER  THE  RAIN  by  Leonid  Afremov



Subi montanhas a pique, como felino nas escarpas. 
Percorri a planície, na indolência do não chegar, perseguindo a linha impoluta do horizonte. 
Pisei, contigo, os glaciares das neves eternas, com um calor íntimo acariciando o peito arfante. 
Verguei os joelhos na busca do não encontro e, por momentos acreditei que Estavas antes daquela perturbação do Nada Inicial que tudo criou nesta velocidade a que vamos, rumo ao indefinido final.
Subi a Acrópole na busca incessante da Sabedoria que aos humanos alimenta. Extasiada, olhei a distância e percebi a precária linha por onde caminhamos. 
Pisei prados transalpinos e areias dos desertos.
Olhei mares de todos os nomes que se agitavam em marés de  ideais antigos.
Teia inacabada da minha humana condição. 

Ana



12 comentários:

Mar Arável disse...

Os meus pés mos seus

Bj

Edumanes disse...

Boa reflexão! Sobre o arame, não me sinto em segurança,
vezes sem conta, descalço na planície a terra fria pisei
caminhando em frente sem nunca ter perdido a esperança
com ou sem atropelos até ao fim da viagem continuarei?

Boa tarde e continuação de boa semana, amiga Ana Tapadas, um beijo,
Eduardo.

Graça Pires disse...

Somos funâmbulos sobre a corda da vida...
Magnífico texto para reflectir, Ana.
Um beijo.

Majo Dutra disse...

Um texto poético belíssimo, estimada Ana.
Abraço.
~~~

CÉU disse...

Andaste por tantos caminhos, liricamente ou não, e não deixaste a simples condição humana. Incrível! A forma como escreves!
Depois da chuva, a natureza fica lavada e tão à mercê!

Beijos e bom final de semana.

Fê blue bird disse...

Tantos caminhos que andastes e tantos ainda a percorrer.

Um beijinho grato amiga Ana

Mariazita disse...

Excelente texto, que me fez lembrar um poema que publiquei em 3 de Março, com o título VOO ALUCINANTE.
Ao longo da vida palmilhamos caminhos insondáveis, sempre na busca dum conhecimento que nem sempre encontramos.

Votos de um Domingo feliz
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Jaime Portela disse...

E convém que ainda mais teia para fazer...
Excelente texto, todo ele muito poético, que faz lembrar os locais por onde eventualmente passaste, ligando-o, talvez, ao amor da tua vida.
Parabéns pelo teu talento para a escrita.
Ana, tem uma boa semana.
Beijo.

As Mulheres 4estacoes disse...

Nossos pés andam por caminhos diversos, em cada fase, um novo chão a pisar.
Abraço,
Sônia

São disse...

A poesia transborda das tuas belas palavras, amiga!

Beijinhos

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, cada caminho um pedra de ergue e dificulta, cada palavra do belo texto revela o seu lado poético.
AG

Vieira Calado disse...

Olá, boa tarde! Passei para rever o blog e deixo os meus cumprimentos!