Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

domingo, 21 de dezembro de 2008

Eis-nos aqui

Bruno Baumann, Lotus
Eis-nos aqui, sentados à lareira
Do desespero.
O borralho ideal vai-se apagando,
Enquanto o vento da realidade
Sopra lá fora.
É esta a nossa hora
De amor
Ou de traição?
Porque fechamos todas as portas
Do coração,
Entanguidos de frio e de terror?
Se o temporal entrasse,
Talvez a labareda se ateasse
E nos desse calor...
Miguel TORGA, Cântico do Homem

6 comentários:

Bipede Implume disse...

Só o Torga, tão português. para expressar os nossos sentimentos, actualmente.
Também me socorri dos seus versos.
Venho desejar-te um Natal cheio de esperança num futuro melhor. Cheio de Paz e muito amor.
Beijinhos natalícios.

Hipatia disse...

Preciosa imagen y delicadas palabras. Obrigada.
Te deseo paz y alegría en los próximos días, Ana.
Un beijiño, desde la Enterprise.

Jardineiro de Plantão disse...

O mundo está em suas mãos.
Tenha coragem e determinação
para transformar momentos difíceis
em grandes desafios,
buscando na solidariedade
um passo para dias melhores.
Neste Natal, que o grande potencial
da humanidade revele-se
em cada um de nós
para o início de um novo ano.

Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

EternaApaixonada disse...

*****

Querida amiga Ana,

passando para lhe deixar meu carinho e desejar um Feliz Natal, junto a seus queridos, com muita Luz, Alegria e Amor!
Uma ótima passagem de Ano, com muita Esperança de dias melhores!
Até minha volta, minha amiga!
Muitos beijos

*****

loira mexicana disse...

Achei seu blog diferente e original.Gostei dos posts também.Vou voltar mais vezes!

Janaina Amado disse...

Ah, sempre o grande Torga, lindo o poema! Feliz Natal, com humor e amor, para você e sua família.