Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 7 de março de 2017

O Excesso



Alexandre Séon, Le retour

Se chorar, dirás que sofro...
E, todavia, o céu telúrico.
E, todavia, os teus passos,
Os teus laços,
Tu...
O palpitar constante,
O ser difuso, divagante!
Não sei do espaço,
Perdi o tempo,
No momento
Em que tocaste o meu sonho!
A beleza, a nobreza...
O excesso e o reverso...
E, se te sonho e te quero,
Tu és a calma, a agitação
- o meu processo!
Se chorar dirás que sofro!
O habitual, o convencional...
Porém, há um hino divinal
E pássaros entram pelas vidraças,
Se me abraças...
E te perdes.

Ana


Nota: talvez pelo excesso de trabalho e enorme falta de tempo disponível, talvez pelo sol radiante e pelo toque primaveril que actualiza as paixões...reedito este poema. 
Bom dia, amigos.


31 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo, querida amiga. O teu poema não é um excesso, é um suceder de boas imagens poéticas bem conseguidas. Gostei imenso.
Boa semana, beijos.

Sara disse...

Oh se há desejo de fuga... olhe que até de si eu quero fugir, que me tem metido medo!!
Beijinhos

Sonhadora disse...

Minha querida Ana
Lindissimo poema, gostei muito.

Beijinhos de boa noite

Sonhadora

Angelo Morgado disse...

não deixes de sonhar, nunca !!!

Isabel disse...

lindo poema :)

beijinho
Isabel

LUNA disse...

´E muito bonito!!!1
Nada que represente amor é um excesso...

"Porém, há um hino divinal
E pássaros entram pelas vidraças,
Se me abraças.."

Pois entäo temando um abraço muito grande, para que fujam os fantasmas da solidäo e da tristeza.

Andradarte disse...

Não sou muito dado a interpretação,
mas no todo, gostei do seu poema
Beijo

Luiz Sommerville disse...

Uma poesia divinal,sinceros parabéns.

disse...

Lindo o poema !

Bipede Implume disse...

Querida Ana
Chego tarde mas valeu a pena pois encontrei a tua poesia tão cheia de sentimento.
Beijinho de boa noite.
Isabel

Gerana Damulakis disse...

Nossa, Ana: belo belo belo poema. É para ser dito em voz alta.
Estou imensamente apaixonada por sua poesia.

Flor ♥ disse...

Adoráveis metáforas, Aninha! Nunca em excessos...

Beijinho!

Fernando Campanella disse...

...Porém, há um hino divinal
E pássaros entram pelas vidraças,
Se me abraças...
E te perdes.


Muito bonito, um canto amoroso que toca as profundezas da alma pela deicadeza, leve dor. Bjos.

Rafael Castellar das Neves disse...

Manda muito bem, hein moça?

Gostei do que vi aqui...

Ana Tapadas disse...

Lendo os comentários...tenho saudades destes tempos do BLOGGER. Outras redes sociais eram coisas de miúdos :)
Bjs

Edumanes disse...

Não chorará mais quem se cala,
tormentos mais não se sofrerá
dos olhos nem mais uma lágrima
no chão de sofrimento derramará!

Tenha uma boa tarde amiga Ana, um bjo,
Eduardo.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Há dias assim


(a blogosfera
tenderá a ser o que era)

O Puma disse...

Bela memória
Bj

Majo Dutra disse...

Felizmente reeditaste, Ana e eu pude apreciá-lo
Como são gratificantes as lágrimas de comoção!
Gostei muito.
Beijos
~~~

ginginha disse...

Belo poema a merecer muitas reedições!Bjinho, Ana

Manuel Veiga disse...

certamente o "toque primaveril"

e o poema merece.

beijo

AC disse...

E fez bem em reeditar, Ana. O poema é maravilhoso, fiquei encantado!

Uma boa semana :)

Graça Pires disse...

"E pássaros entram pelas vidraças,
Se me abraças...
E te perdes."
Que belo, Ana!
Uma boa semana.
Beijos.

alfacinha disse...

Adoro ler a sua poesia com um coração grande .
Abraço

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Nunca há excesso no amor,
Porque amar em excesso
É o grande afeto expresso
Dos sentimentos. Se for

Ao contrário, inferior
Será triste. Havendo progresso
Poder-se-á, como eu meço,
Medir-se sem dar valor.

Ame sempre a mais, diria,
O amor tem a magia
De eternizar a vida.

Amar, é luz, é poesia,
É dor que traz alegria
E é sonho que se duvida.

Grande abraço. Laerte.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Por favor, corrija meu erro! Delete o que houver a mais. Laerte

Ana Tapadas disse...

Procedi à correcção. Fraterno abraço

Manuel Veiga disse...

uma belíssima entrega.
num abraço

gostei muito.

beijo

CÉU disse...

Olá, Ana!

Então, vens de "Retour" e numa de excessos. Que bom são estes excessos de k falas no teu lindo e grande poema. Laços, abraços, passos, perdições, encontros, toques, amor, Primavera, flores, amores. Tão bom!

Beijinhos e bom fim de semana.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o lindo poema pode ser publicados por varias vezes porque é sempre agradável de o ler.
AG

Jaime Portela disse...

E em boa hora o reeditaste, já que é magnífico.
Ana, tem um bom domingo e uma boa semana.
Beijo.