Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Ferinos



                                                                           Hans Dahl, pintor norueguês





Nas asas do vento passam os dias.
Breves silêncios deslizam secretos.

São pontos ferinos na réstia de luz!

Quietos os beijos que pedias...
Leves desejos de quem seduz.


Ana

18 comentários:

Olinda Melo disse...


Olá, querida Ana

Por aqui me quedo na leitura deste poema.
Seduz-me este deslizar entre réstias de luz
e pontos ferinos.

Bj

Olinda

Rogerio G. V. Pereira disse...

De tão sereno
e por ser tão bonito
merecia, talvez, outro título

CÉU disse...

Olá, Ana!

Os dias passam entre a serenidade e a "agressividade", mas é preciso termos um outro olhar sobre tudo o que é "feroz".

Beijos e dias menos inquietantes.

Edumanes disse...

Não nas asas do vento,
sinto-me bem nesta vida
com a oportunidade que tenho
de poder ler a sua poesia.

Tenha um bom dia amiga Ana, um beijinho,
Eduardo.

Majo Dutra disse...

Um poema interessante,
manifestando um desencantamento pela vida...
Que os beijos se aquietem sempre com desejo ardente!
Beijinhos, querida amiga.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Manuel Veiga disse...

vá la saber-se onde as asas do vento podem levar...
fiquei preso no poema.

beijo

Fernanda Maria disse...

Ana:
Pontos de luz podem virar setas... de amor.

um beijinho

Jaime Portela disse...

A luz, por vezes, é ofuscada por coisas da vida bem cruéis.
Excelente poema, como sempre.
Bom fim de semana, amiga Ana.
Beijo.

Fá menor disse...

Silêncios podem ser pontos ferinos ou pontos de encontro...

Beijinhos

alfacinha disse...

Nas asas do vento passam os dias.
Que linda frase
Abraço

AC disse...

A quietude, quase em contra-luz...
Muito belo, Ana!

Uma boa semana :)

Graça Pires disse...

Dias silenciosos. A réstia de luz perigosamente alucinando os beijos...
Uma boa semana, Ana.
Um beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, linda pintura do português Hans Dahl, o poema encanta, os pontos de luz podem ser uma nova oportunidade, sejam eles ferozes ou não.
AG

São disse...

Ah! Desta vez consegui entrar....


Continuo gostando da tua poesia, Aninhas.

Abraço e alegre Entrudo

Mar Arável disse...

O vento não tem asas
quando se prendem os lábios
e se faz luz
mesmo na vertigem de um instante

Bj

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
Para tornar estes dias tão sombrios e, não falo só do tempo, nada melhor que a doçura deste poema.
Beijinhos e bom fim de semana.

ginginha disse...

"...nas asas do vento passam os dias" e ....a sua companhia, Ana, é muito agradável!Bjinho

São disse...

E tomaste uma boa decisão, porque é lindo mesmo este teu poema.

Bom final de semana, linda, beijinhos