Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Centauro



Marvão - José Alves





Eu hei-de, então
Amar silêncios...





Violar sonhos
 Desfazer áridas lacunas.

Marvão


No dealbar
No limiar
....







A vertigem e o vago








Sou...
Contigo,
Sou!


 Ana










11 comentários:

Andradarte disse...

Adorável postagem......
beijo

Gerana Damulakis disse...

Show de palavras e imagens. Bjão, Ana.

Sonhadora disse...

Minha querida
Muito lindas as fotos, parecem pinturas e acompanhdas com um belo poema, adorei.

beijinhos com carinho
Sonhadora

LUNA disse...

Belísima foto das duas montañas falando...
Contando dos séculos que estäo à beira do caminho...
E o sol dum céu limpo, brillante, argento, olha com seus olhos deslumbrantes e sabe que dizem a verdade...

Que nunca estaráo sozínhos...
Qur muitas vezes ser y estar, säo a mesma coisa.

Adorei tudo, as fotos e o texto, querida amiga.
Beijinhos

rita disse...

Adorei!
Fotos lindas ;)
Beijinho

Laura disse...

Adorei o poema, lindo, cheia de sentimento.

sofia disse...

Gosto muito das fotos !
E do que vai escrevendo ! beijinho

Renata Luciana disse...

tão bom percorrer os dias assim.

Bjos,

JPD disse...

Estive em Marvão este ano, antes do Verão e voltei deslumbrado.

É dos passeios mais deslumbrantes que se pode realizar.

Bela edição, Ana
Bjs

ADRIANO NUNES disse...

Amada Ana,


Sou contigo... Contíguo!


Abração,
A. Nunes.

Fernando Campanella disse...

Lindo poemal-imagem. Um abraço, Ana.