Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Fundo

Aqui



Procura teu ser desfeito no vazio
que a vida é feita de sonhos perdidos.
Procura a doçura feita do frio
e dos tremores dos dias vencidos!

Só da luta nasce a vida e o amor;
só do dia que venceste nascerá uma flor.
Ah! Quanta confusão e loucura
existe na derrota duma criatura!

Sê forte mesmo na desdita e na dor.
Sê louca, vive, mas sê sempre pura.
Pura como a flor que se olha com amor,
com admiração, porque tem candura.

Segue o teu rumo com segurança,
mas sem ergueres a cabeça com desdém.
Quando te foge a última esperança,
pensa que a vida contudo é um bem.

Cerra os punhos, luta pela Justiça!
E sê a ave que voa sem preguiça
sobre o tumulto dos tempos
e da voz agressiva dos ventos!



 Ana

12 comentários:

Eva Gonçalves disse...

É isso mesmo... :) Gostei muito. Nunca perder a esperança e lutar sempre...
beijo

Sonhadora disse...

Minha querida

Quanta força neste poema.

Cerra os punhos, luta pela Justiça!
E sê a ave que voa sem preguiça
sobre o tumulto dos tempos
e da voz agressiva dos ventos!

Simplesmente lindo, adorei e deixo um beijinho carinhoso.

Sonhadora

Flor ♥ disse...

Oi, Aninha!

Sabe, por aqui os tempos andam difíceis... problemas de saúde em família deixam-me um pouco desanimada, sem vontade de navegar na Internet. Procuro manter as postagens do blog, pois a poesia tem poder de me acalmar. Tu não imaginas como teu carinho me faz bem, assim como ler este poema teu tão inspirador para este meu momento.

Beijos, querida amiga, fica com Deus!

Margarida disse...

Isto é um poema de incentivo para os portugueses, não é? :p

Beijinhos

JPD disse...

Poema admirável por exibir uma estrutura em construção, como a da ilustração, rigorosamente geométrica e sustentada.
Lindo, lindo, lindo, Ana
Bjs

Andradarte disse...

Para que justiça se faça. vale sempre a
pena ir à luta.A esperança é a última
a morrer...
Beijo

JPD disse...

Adenda:
O primeiro livro que li de Cortázar foi «JOGO DO MUNDO (RAYUELA)
Extraordinário.
Vou aproveitar a sugestão que deixaste no Guizo.
Gosto imenso da maneira e da agilidade intelectual do Cortázar.
Bja

Cristina disse...

Bom fim de semana,Ana.Beijinhos.

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Eu gosto muito deste hino-poema.
Adapta-se-nos como uma luva.
E faz todo o sentido, actualmente.
Aquela história da rã foi mesmo para desanuviar...
Beijinho e fim de semana tranquilo, sereno.
Isabel

Andradarte disse...

'Só da luta nasce a vida e o amor;
só do dia que venceste nascerá uma flor.'

Enquanto se vive, existe sempre o tempo
para a derrota das loucuras; assim a esperança não falte...
Beijo

Fê-blue bird disse...

Segue o teu rumo com segurança,
mas sem ergueres a cabeça com desdém.
Quando te foge a última esperança,
pensa que a vida contudo é um bem.

Amiga Ana:
Um poema lindo, de esperança, de força e luta!
Acredita que me fez muito bem lê-lo, pois reavivou-me o valor da VIDA!

Beijinhos

Nilson Barcelli disse...



Cerra os punhos, luta pela Justiça!
E sê a ave que voa sem preguiça



Excelente poema. Parabéns pelo teu talento, sempre presente no que fazes.
Querida amiga Ana, tem um bom fim de semana.
Beijos.