Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

sábado, 9 de março de 2013

Esta Gente / Essa Gente



O que é preciso é gente

gente com dente
gente que tenha dente 

que mostre o dente

Gente que não seja decente
nem docente
nem docemente
nem delicodocemente

Gente com mente
com sã mente
que sinta que não mente
que sinta o dente são e a mente

Gente que enterre o dente
que fira de unha e dente
e mostre o dente potente
ao prepotente

O que é preciso é gente
que atire fora com essa gente

Essa gente dominada por essa gente
não sente como a gente
não quer
ser dominada por gente

NENHUMA!

A gente


só é dominada por essa gente


quando não sabe que é gente

                                     Ana Hatherly, in Um Calculador de Improbabilidades



Aqueles que aqui vêm há mais tempo sabem bem como admiro Ana Hatherly. 
Foi minha professora e tínhamos uma enorme cumplicidade. Que bom saber que continuamos a tê-la.

http://raraavisinterris.blogspot.pt/2008/03/ana-hatherly.html

http://raraavisinterris.blogspot.pt/2009/03/arte-do-suspenso.html


10 comentários:

São disse...

Ai, nem sabes como eu gostaria de a conhecer...e de como acho este poema soberbo!

Bom fim de semana, ma belle

Rogério Pereira disse...

Há cumplicidades que se transmitem
até mesmo entre quem não se conhece
Basta um poema, diria

Lídia Borges disse...

Um poema cheio de ritmo.

Uma poética admirável


Lídia

Fê Blue bird disse...

Há Gente que se destaca e nos marca exactamente por ser GENTE que SENTE!

Um poema soberbo!

beijinho minha amiga

heretico disse...

gente de raiz...

com vértebras e o lume da inquietação.

beijo

Isa Lisboa disse...

Muito bom esse poema! Confesso que não conhecia a autora, mas gostei de conhecer!

Na próxima quarta feira, o Instantâneos a preto e branco faz 2 anos. Se puderes passar por lá, terei todo o gosto em receber-te lá!

Beijo

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente poema....
Cumprimentos

Nilson Barcelli disse...


O que é preciso é gente
que atire fora com essa gente

Excelente poem. O mote é bom, mas o teu poema está ao seu nível.
Um beijo, minha querida amiga Ana.

Margarida disse...

A gente... A gente é difícil de agradar.


Um beijo enorme,
Sara

Petrus Monte Real disse...

Ana,

Poema riquíssimo,
que nos encoraja
nos tempos difíceis que vivemos!
Conheci a ana Hatherly
através do poema "A casa de Beethoven"
inserido na "Divina Mùsica",
antologia de poesia sobre música
que inclui inúmeros poetas dos países lusófonos.
Há dias, na antena 2, ouvi-a
numa enrevista, em que nos deu a conhecer melhor o seu pensamento e a sua relação com a arte e a vida em geral: mulher muito culta, humilde e sábia!
Percebo tão grande admiração pela antiga professora!
Bom Domingo
Grande abraço