Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Como chumbo, os pássaros



Alto Alentejo - José Alves


Como pedras 
os pássaros vagos
cruzam o ar claro
azul do meu país

Sabem da abundância
e do fim das bacantes
do tempo dos arados
rasgando o ventre negro
da planície parindo
prados e searas

Como balas
os pássaros dançam 
atordoados na luz
matinal falsa e estival
do Verão que finda
ainda nas tardes

Conhecem o recomeço
o frio que anuncia
a noite que chega
umbrosa rumorosa
prenhe de regressos
falsa porta outonal

Como gelo
os pássaros chegaram
ao sul e permanecem
nas noites no breu
não aquecem esquecem
que na urbe as grades
já crescem no vazio


Ana




14 comentários:

edumanes disse...

Sabem da abundância
e o fim das bacantes
do tempo dos arados
rasgando o ventre negro
da planície parindo
prados e searas.

Muito bem amiga Ana
noutros tempos foi assim
Gente humilde alentejana
Explorada por gente ruim.
de lágrimas e suor regada
a planície alentejana
de sangue terra manchada!

Obrigado pela visita,
boa noite para você,
amiga Ana Tapadas, um beijo
Eduardo.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Parecemos nós...

Zilani Célia disse...

OI ANA!
AINDA BEM QUE APÓS A NOITE ESCURA O DIA SEMPRE A SUCEDERÁ, TRAZENDO CONSIGO O SOL E NOVAS ESPERANÇAS...
LINDO TEU TEXTO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

JP disse...

E nós não somos assim?

Não andamos atordoados?

Beijinho e bom fds

Andradarte disse...

Bonito Ana....
Gosto dos seus poemas.....pena eu
não ter esse dom....
Beijo

São disse...

Se fossem só os pássaros a andarem atordoados, amiga...

Abraço fraterno, Ana

AC disse...

As grades crescem e, em ritmo crescente, vão estendendo as suas garras...
Ah, Ana, beleza dolorida, a do seu poema!

Beijo :)

Vieira Calado disse...

E sabem também, amiga,
que começou o tempo da caça!
Beijinhos!

heretico disse...

pássaros de asas cortadas?

não há grades que sempre durem...

beijo

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

e mesmo na mais escura noite, há que acreditar...

um beijo

Isa Lisboa disse...

Acho que os pássaros conhecem o nosso país melhor que nós...!
Um abraço!

Pérola disse...

Uma abundância que os pássaros transportam nas asas em voos ligeiros.

Beijos

Bípede Implume disse...

Querida Aninha
E como crescem essas grades.
Mas os pássaros têm asas, já o mesmo não digo dos passarões...
Um beijinho grande e que a tua inspiração nos acompanhe.
Isabel

Fernando Santos (Chana) disse...

muito belo a fotografia e o poema...Espectacular....
Cumprimentos