Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Maneirismo



Vincenzo Campi
Tempo para redescobrirmos o Homem, no meio do medievalismo global.


9 comentários:

Edumanes disse...

Frutos secos com fartura!
o homem onde é que estará?
sem amor e sem ternura
perdido no tempo andará...

Boa noite amiga Ana, bons sonhos, um beijo.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Haja esse tempo
neste preciso momento

Lídia Borges disse...


De outros outonos, a compensação que a terra oferecia ao homem...

A pintura é soberba!

Bj.
Lídia

heretico disse...

generosa oferta a tua - e sábia proposta.

beijo

Vanuza Pantaleão disse...

Pois é, Ana, muita gente passa por lá, lê, mas não aprende.

Os frutos da terra eram fartos, mas os homens, no seu estado medieval globalizado, já esgota a natureza e nada lhe dá em troca.
O quadro realmente é belíssimo, foste muito feliz em escolhê-lo.
Um ótimo fim de semana!Bjs

Graça Pires disse...

Os frutos com o aroma selvagem dos devaneios.
A globalização a trazer-nos rituais de outros tempos...
Um beijo, Ana.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, o consumista prefere o congelado e os químicos, basta estarmos atentos para facilmente concluirmos qual a preferência.
AG

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

. intemporal . disse...

.

.

. seja . :) .

.

. um beijo meu .

.

.

© Piedade Araújo Sol disse...

imagem muito bela e muito bem escolhidas para as palavras tuas, singelas, e oportunas...

:)