Rara Avis in Terris, JUVENAL, Sátiras, VI, 165

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Da Catalunha - obrigada!




Querida Antonia Tenea vou dizer-to naquela língua que uniu a Espanha católica. Vou dizer-to como o registam os Dicionários do teu país desunido pela cultura, pela História e pelos sonhos diversos dos homens, país abstracto nos sonhos de Unamuno:

Esfuerzo consciente de los grupos humanos por entroncar con su pasado, sea éste real o imaginado, valorándolo y tratándolo con especial respeto.

Diada catalã em dia de deposição de armas.
Dia de Portugal quando o estro camoniano se calava e a monarquia dual, falada naquele castelhano timbrado de Filipe, inundou os paços em Lisboa.
Minha amiga, tu és médica e sabes. Sabes bem melhor que eu como é difícil ao humano olhar-se de frente.
Não podemos apagar a História. Estamos de acordo. Não poderemos esquecer as guerras: civis, coloniais, quixotescas, velhas gestas, velhas tiranias. Só assim evitaremos as do porvir.
Da tua rica Catalunha podes olhar o meu Portugal sem memória histórica.
Tu não és castelhana. Eu não sou castelhana.
Nós somos ibéricas e irmãs ancestrais. Nós somos ibéricas como todos os castelhanos, afinal.
Humanas e sequiosas de um mundo melhor.
Bem hajas!


9 comentários:

Antoniatenea disse...

Gracias Ana,de acuerdo con lo que dices , ambos países, el tuyo y el mío han sufrido tanto que se debe recordar para no volver a la violencia nunca e ir por el sendero de la Democracia, la Cultura y el Progreso económico.
Este premio que te pasé no es el único, hay otro a escritores llamado Pluma a la izquierda también para ti.
Escribes de una forma muy culta,muy sentida también, aunque no siempre puedo entenderte del todo.
Un abrazo!

Antoniatenea disse...

Gracias Ana,de acuerdo con lo que dices , ambos países, el tuyo y el mío han sufrido tanto que se debe recordar para no volver a la violencia nunca e ir por el sendero de la Democracia, la Cultura y el Progreso económico.
Este premio que te pasé no es el único, hay otro a escritores llamado Pluma a la izquierda también para ti.
Escribes de una forma muy culta,muy sentida también, aunque no siempre puedo entenderte del todo.
Un abrazo!

Flor ♥ disse...

Deixo às duas irmãs ibéricas um texto que bem reflete esse pensamento das duas. Trata-se do cultivo de um novo olhar, de um olhar que vai prá fora de nosso círculo restrito e familiar:

"Seja qual for sua condição de vida, pense em si e nos seus, mas torne-se incapaz de fechar-se no círculo estreito de sua pequena família. Adote de vez a família humana... Que nenhum problema de nenhum povo lhe seja indiferente. Vibre com as alegrias e esperanças de qualquer grupo humano. Adote como seus os sofrimentos e humilhações de seus irmãos de humanidade."

Um beijo de além para as duas...

da irmã Flor ♥!

=)

Gerana Damulakis disse...

Adorei o "adote de vez a família humana" do comentário de Flor: lindo sonho, fiquei arrepiada porque é algo que penso sempre.

Janaina Amado disse...

E viva a Catalunha, daqui vai o abraço brasileiro para catatães e portugueses!
Ana, obrigada pelos teus cuidados com os meus doentes - hoje estão melhor! :-)

Bipede Implume disse...

Querida Aninha
Foram só uns dias e já estava com saudades.
E encontro beleza e sensibilidade, como sempre.
Beijinhos.
Isabel

Cristina disse...

Bom fim de semana, Ana, entre Catalunha e Portugal!!
Biejinhos.

claudio rodrigues disse...

Ana, que texto bacana! Sensível e forte. A lingaugem, mais uma vez, unindo povos. Gosto demais das nossas línguas irmãs, sobretudo o espanhol e o galego. Quero ir na galícia pra ver e ouvir essa língua que parece o português nosso aqui do brasil bem anitgo. É linda, poética.

EternaApaixonada disse...

Aqui me repito sempre, mas fazer o quê?
Simplesmente o que sinto!
Um espaço lindo, impregnado de cultura e sentimento!
Obrigada por partilhar minha querida!
Beijos